Pesquisar este blog

Carregando...

domingo, 13 de abril de 2008

Liturgia Pentecostal (parte 1)

Um dos campos onde o Pentecostalismo enfrenta mais problemas é na liturgia. Uns, adeptos de um sobrenaturalismo anti-bíblico só consideram o valor de um culto onde há manifestações de poder, seja humano ou supostamente divino. Outros, vêem um culto como um lugar de receber presentes celestiais, sendo pessoas que sempre levantam a mão quando um pregador diz: “quem veio receber uma bênção essa noite?” Há ainda aqueles que confundem culto com um programa de entretenimento, onde o espetáculo é a ordem que rege o momento de adoração.
Culto vem das palavras gregas latréia e proskyneo, portanto cultuar significa adorar, reverenciar, render homenagem etc. O culto é apresentado no Novo Testamento com alguns elementos para o sua direção. Os elementos do culto são a oração ( At 12.12; 16.16), a exposição da Palavra ( Rm 12.17; Hb 13.7 ), os cânticos ( I Co 14.26; Cl 3.16), a contribuição (I Co 16.12 ) e dons espirituais ( I Co 14.26-32).
Mas além da importância de conhecer os verdadeiros elementos de um culto é preciso refletir sobre a natureza dessa adoração prestada a Deus. Tanto para pentecostais, como para não-pentecostais é necessário refletir que:

01) O culto cristão é racional (Rm 12.1)

O culto de Deus é racional. Não há lógica os dirigentes de culto incentivarem uma reunião em que a mente não seja cultivada. Em muitos cultos há um reverência para a irracionalidade, pois os louvores nada dizem e são meros sons jogados ao vento, onde ninguém entende a nada da mensagem musical.
Os supostos arrebatamentos de sentidos além das glossolalias sem interpretações, fazem sentido em um culto racional? O culto anti-litúrgico, onde não há ordem e muito menos decência, condiz com um culto em que se usa a razão? As supostas “danças, caídas, sopros, pulos, cambalhotas, retetés... no espírito” se encaixam no culto que se deve cultivar a racionalidade?
Em Romanos 12.1, Paulo adverte a igreja para oferecer um culto logikos, que pode ser traduzido por “relativo à razão, racional...”[1] O uso da mente, tão desprezado no meio evangélico, é totalmente incentivada pelo doutor dos gentios. Tanto os louvores, a exposição da Palavras e as manifestações carismáticas devem seguir uma lógica compreensível a todos os presentes no culto.

02) A exposição da Palavra é o ápice do culto (At 20.7-8).

A pregação expositiva, onde o texto é discorrido com esmero exegético e hermenêutico, debaixo de oração constante para o quebrantamento dos corações ouvintes é o ponto máximo da adoração cultual. O tempo do culto tem sido substituído por pregações artificias, que mais parecem programas de auditório, onde o propósito é animar os presentes. A Palavra de Deus precisa ser pregada com o máximo de preparo e o pregador nunca deve substituir o khronos kerigmático por testemunhos, campanhas, cantorias etc. John Piper escreve: “A Palavra significa para a adoração o que o oxigênio significa para a respiração”.
O pastor inglês John Stott relacionou muito bem o culto a pregação:

Adoração pertencem indissoluvelmente uma à outra. Toda a adoração é uma resposta inteligente e amável à revelação de Deus, porque é a adoração de seu nome. Portanto, a adoração aceitável é impossível sem a pregação. Pregar é tornar conhecido o nome de Deus, e adorar é louvar o nome do Senhor sobre o qual fomos informados. Ao invés de ser uma intrusão alienígena à adoração, o ler e o pregar a Palavra são realmente indispensáveis à adoração. As duas não podem ser divorciadas. [2]

Na igreja hodierna a pregação nunca foi tão carente e desprezada. Apesar do grande número de “pregadores”, “conferencistas internacionais”, “profetas” etc, a pregação bíblica expositiva e bem explicada, é cada vez mais rara nos púlpitos das igrejas.

Continua...

Referências Bibliográficas:

1- RIENECKER, Fritz e ROGERS Cleon. Chave Linguística do Novo Testamento Grego. São Paulo: Vida Nova, 1995. p 276.

2- STOTT, John R. Between TwoWorlds. Grand Rapids: Eerdmans, 1982. p. 82. cit. MacARTHUR, John in Como devemos cultuar a Deus?

35 comentários:

Juber Donizete Gonçalves disse...

Caro Gutierres,

Parabéns pelo seu artigo. Realmente o que mais as igrejas precisam hoje, é de uma pregação expositiva clara, sem shows e peripécias. Apenas o anúncio inteligente e objetivo do Evangelho. Numa época em que os pregadores procuram é o "cair no espírito", sendo que muitos precisam e de levantar-se e andar em nome Jesus.

Graça e Paz sobre a sua vida,

Pr. Juber Donizete Gonçalves
www.juberdonizete.com/

André Amaral disse...

Gutierres,

você manipulou os textos bíblicos de forma incorreta. O ápice do culto no N.T nunca foi a pregação expositiva. O sermão expositivo foi inserido no culto por volta do segundo século como nos lembra Frank Viola em "Cristianismo Pagão. A origem das práticas de nossa igreja moderna":

"O mais antigo registro cristão relacionado à pregação de sermões refere-se ao final do século II. Clemente de Alexandria (150-215) lamentava o fato dos sermões exercerem pouca influência nos cristãos."

O sermão é a maior Vaca Sagrada do protestantismo. Para muitos ele é considerado alimento espiritual. Não tem sequer base bíblica.

Sem muitos comentários... Esse seu texto é ridículo!

Abraço.

Pr. Zwinglio disse...

Gutierres,

Ñ vejo o seu post como o vê o André Amaral:

"Esse seu texto é ridículo!".

Disse ele.
-----------------------------------
Na verdade, eu vejo q há instruções procedentes em seu texto.

O seu único equívoco, ao meu ver, é a sua assertiva de q a pregação expositiva é o ápice do culto.

Ñ há base escriturística para tal afirmação. O NT ñ estabelece uma ordem de importância sobre as ações em um culto congregacional. Ñ há hierarquização... - até na dinâmica do culto o denominacionalismo radical quer estabelecer hierarquias... ô falta de respeito... eu hein?!!!

Como já te disse no chat, o ápice de um culto é a adoração (o culto) em espírito e em verdade (Jo 4).

Atingindo esta dimensão, o culto ao Senhor terá sentido.

O Pai busca os q O adoram com uma motivação interior verdadeira.

Victor Leonardo Barbosa disse...

discordo de ambos os doi que afimaram tal coisa.
Não basta ser expert e0m Bíblia para ver que os sermoões( a pregação) era o pináculo do cristianismo primitivo.

Sugiro a leitura de atos dos apóstolos e aí você verão como Deus agia naqueles tempos.

E uma pergunta. Já que apregação não era importante, porque Paulo se estendeu tanto(em um episódio do livro de Atos) a ponto de um menino cair do andar do prédio de tanto sono?(vejam quantas horas durou a "homilia")

VidaProfética disse...

Paz em Cristo...
gostei muito do teu blog
mo benção.
há faz uma visita la no meu blog
www.vidaprofetica.blogspot.com
sei que vai gosta...
Fique na Paz.

Pr. Zwinglio disse...

Victor,

1° Eu, particularmente, ñ disse q a pregação ñ é importante.

2° Vc sugere a leitura de Atos a mim?!! Quem te disse q nunca o li?!! Será q vc sabe quantas vezes eu o li?!!!

3° Paulo passou algumas horas pregando, e daí?!!! Onde está no texto referido uma normatização e uma hierarquização para a ação cultual q eleve a pregação à posição suprema?!! Aquele foi um kso!! Diga quantos outros ksos semelhantes há q envolveram o apóstolo...

4° Me aponte um texto nas epístolas q afirmem q na reunião congregacional a pregação é mais importante do q as demais ações cultuais?

5° Bibliolatria é pecado!!! A Bíblia é a Palavra de Deus e ñ o próprio Deus.

6° Eis o padrão para um culto perfeito: "Adoração em espírito e em verdade"! São os adoradores verdadeiros a quem o Pai procura.

O ápice de um culto tem haver com os princípios da adoração em espírito e em verdade. Este é o ensino evidente do Senhor.

Agora, q existem ações distintas para se chegar à este a´pice cultual, isso existe. Ex: cânticos, uso dos dons, espontaneidade, pregação... e ñ se esquecendo das motivações corretas e adequadas da nossa subjetividade.

É isso...

Victor Leonardo Barbosa disse...

Oh, desculpe se eu o ofendi meu caro zuinglio, se você já leu o livro de Atos, parabéns, leia novamente.
Sua desculpa sobre a questão do livro de Atos ser narrativo e não normativo é a mesma desculpa de JOhn Stott, ao afirmar que não podemos tomar seus capítulos iniciais como base da doutrina pentecostal do batismo como Espírito Santo.

Ah, então quer dizer que se eu defendo a Bíblia como normativa e a pregação como a parte mais importante do culto sou um bibliolátra? Ah tudo bem então...vou ser do retété e voar como um neopentecostal....Deus me proteja!!!

Esse papo de bibliolatria foi criado por neo-ortodoxos e neo-pentecostais contra os fundamentalistas, que os critcavam duramente.

Há infer~encias claras que a pregação é a parte mais importante do culto, comparar a VOX DEI com cânticos(por mais importantes e espirituais que sejam) não procede.

André Amaral disse...

Victor Leonardo,

"Há infer~encias claras que a pregação é a parte mais importante do culto, comparar a VOX DEI com cânticos(por mais importantes e espirituais que sejam) não procede."

Amigo, eu também já li o livro de Atos varias vezes. E por ter lido o livro não sou capaz de dizer as mesmas coisas que você diz.

Peço que nos mostre a mensagem secreta do livro de Atos que "SÓ VOCÊ" descobriu. Mostre-nos onde nas escrituras que diz que o sermão expositivo é o ápice de uma reunião eclesiástica.

Concordo com o Zwinglio nesse ponto quando ele diz:

"Paulo passou algumas horas pregando, e daí?!!! Onde está no texto referido uma normatização e uma hierarquização para a ação cultual q eleve a pregação à posição suprema?!! Aquele foi um kso!! Diga quantos outros ksos semelhantes há q envolveram o apóstolo..."

Inclusive sua resposta não foi anda satisfatória, pelo menos eu achei...

Se acha que com isso ele está dizendo como John Stott, creio que você se enganou.

Então esse texto é uma norma? Seguindo essa lógica não seria uma norma RESSUSCITAR mortos também?

Abraços. Continue lendo Atos.

Gutierres Siqueira, 19 anos disse...

A paz do Senhor a todos.

Pr. Juber Donizete Gonçalves,
Muito obrigado por suas palavras em relação a esse blog. Continue visitando esse espaço, sua presença sempre será bem-vinda com observações, críticas e (se possível) elogios. (Hehe)
Um abraço.


Caros: Vitor Leonardo, André Amaral e Pr. Zwinglio.

Concordo plenamente com o irmão Victor, em relação da centralidade da Palavra na adoração. Porque a pregação é o ápice do culto? Pois é o próprio Deus falando para a sua igreja. O neo-ortodoxo Karl Barth entendeu isso, ele disse:

“Ressaltemos agora que, na pregação, não se trata de um esforço do homem em ajuntar coisa a Revelação. O movimento que vai da primeira à segunda vinda não somos nós que o provocamos: é unicamente graça e obra de Deus. É Deus que vem na direção dos homens, não os homens que se elevam por seu próprios meios para conquistar o que Deus lhe destina.” (BARTH, Karl. A Proclamação do Evangelho. São Paulo: Centro Acadêmico Carlos Eduardo Pereira, 1963. p 10-11)

Em concordância com esse pensamento de Barth, o teólogo reformado Bruce Milne disse:

“É importante que nos identifiquemos com a convicção dos Reformadores de que a pregação da Palavra de Deus não é um apêndice à adoração ou, pior ainda, uma simples atividade humana que se segue à atividade divina da adoração, em louvor e oração. O sermão é antes o ponto alto de nossa adoração, quando ouvimos a voz viva de Deus e somos levados a entregar-nos a ele em consagração e serviço”. (MILNE Bruce. Conheça a Verdade; um manual de doutrina bíblica. São Paulo: ABU, 1987, p. 230.).

Nesse ponto não tenho como discordar desses pensadores e com o Victor, pois no Novo Testamento vemos a base kerigmática em destaque no culto (Jô 17.17; II Tm 3.16, II Tm 4.2; EF 1.13, 5.26 etc).

Pr. Zwinglio disse...

Gutierres,

Como a conveniência é interessante!!!

Vc tá evocando Barth agora q te interessa?!!!

A poucos dias atrás vc me disse q Barth era um "reformado desmantelado".

Vc diz q a pregação é o ápice do culto porque é Deus quem está falando. Será?!!!

Vc se esquece q quem prega, dependendo da vertente teológica ou da denominação, é um "herege" muitas vezes.

Vc mesmo vive a chamar muitos pregadores de falsos profetas...

Veja a seguinte situação:

Vc ensinando sobre o batismo no ES e John Stott (citado pelo Victor), um cessacionista, te ouvindo. O q ele irá dizer: é Deus quem está falando, ou é o homem Gutierres? A palavra é de Deus, mais a distorção é sua. Logo, Deus ñ está falando coisa nenhuma...

O oposto é verdadeiro.

Quanto ao q disse Milne, é evidente q discordo dele, pois discordo de vc q concorda com ele.

Irmão, ainda bem q sei ler as Escrituras e posso pela clareza q lhe é peculiar, entender, sem amparo dos eruditos, q ela ñ ensina em lugar nenhum q a pregação é ápice do culto. Nem por inferência isso é proposto.

Por fim, li kda uma das referência alistadas por vc e digo-lhe q me decepciono por ver como um apologeta se exercita para adequar textos às suas próprias conclusões eisegéticas.

Desafio -e faço isso com temor, sem vaidade, mas entendendo a necessidade do momento- a qualquer um q prove EXEGETICAMENTE q as referências, Jo 17.17; II Tm 3.16, II Tm 4.2; EF 1.13, 5.26, elencadas por vc sustenta sua afirmativa em questão.

Deixe de bobagem Gutierres!

Cuidado com certas assertivas...

---------------------

Victor,

Como pastor q sou, esforço-me por ler as Escrituras entendendo sempre q quanto mais leio mais preciso ler.

Eu ñ dou desculpas, eu proponho uma EXEGESE bem feita para q ñ se fique por aí propondo teologias e convicções denominacionais q ñ se coadunam com certos ensinos cristalinos das Escrituras.

No demais,

abraços!!!

Gutierres Siqueira, 19 anos disse...

Caro Zwinglio,
Não sei se você percebeu, mas a minha afirmação não teve um propósito dogmático, mas somente interpretativo. Por inferência, pois não há textos claros sobre o culto (com exceção de exortação da ordem com os carismas em I Co 14), concluímos que o ponto máximo no culto é a proclamação (kerigma), pois é o momento em que Deus está falando na igreja, depois de um sincero louvor e adoração. Os textos apresentados mostram a importância da pregação, e é claro que não há um texto específico que diga: A PREGAÇÃO É A PARTE MAIS IMPORTANTE.
Jesus quando visitou Marta e Maria, viu uma mulher disposta a servir (diaconia- louvor -adoração- veneração) e essa mulher era a digníssima Marta, mas havia a sua irmã que parou o serviço para ouvir as palavras de Jesus, e essa era Maria. Jesus disse para aquela que louvava, sendo Marta:“Maria escolheu a boa parte, a qual não lhe será tirada” (Lc 10.42)

André Amaral disse...

Zwinglio,

Meus parabéns pelo último comentário.
Ficou muito bom.

Gutierres,

lembro que conheci seu blog e comecei a participar quando li um texto seu que falava sobre a anti-ortodoxia. Me surpreendi quando li você citando Barth para tentar provar "sua" tese.

Sobre o sermão como ápice do culto vou fazer algumas observações e citações.

Frank Viola está entre meus autores preferidos. Ele é o único autor que conheço que propõe com clareza, fidelidade histórica e sinceridade bíblica, examinar impetuosamente a origem das práticas de nossa igreja moderna. Em Cristianismo Pagão ele faz isso muito bem.

Note o que ele diz sobre o Sermão e a Bíblia:

"As Escrituras registram homens e mulheres pregando. Todavia, há uma grande diferença entre a pregação inspirada pelo Espírito, descrita na Bíblia, e o moderno sermão. Esta diferença quase sempre passa por alto porque fomos condicionados a não nos importarmos. Em vez de ajustarmos nossas práticas à Bíblia, lemos a Bíblia visando ajustá-la às nossas práticas. Então, equivocadamente, aceitamos o púlpito como algo bíblico."

Ele ainda fala sobre a origem do sermão moderno, que ao contrário do que a maioria pensa, não era praticado na igreja primitiva.

Ele ainda observa que:
"A palavra grega utilizada muitas vezes para descrever a pregação e o ensino do século I é dialegomai (Atos 17:2,17; 18:4,19; 19:8,9; 20:7,9; 24:25). Esta palavra significa uma via com dois sentidos no que diz respeito à comunicação. A palavra “diálogo” deriva dessa palavra. Em suma, o ministério apostólico era mais diálogo que monólogo."

Observando o moderno sermão podemos concluir que:
a).É uma ocorrência regular, proferido de cima do púlpito, pelo menos uma vez por semana.
b).É proferido quase sempre pela mesma pessoa, tipicamente pelo pastor.
c).É ministrado a uma audiência passiva; é essencialmente um monólogo.
d).É uma forma de falar culta, que possui uma estrutura específica. Tipicamente, contem uma introdução, de três a cinco pontos e uma conclusão.

A pregação apostólica, seguindo o modelo de Jesus, possuíam as seguintes características:

a).Eram esporádicas.
b).Foram proferidas em ocasiões especiais para tratar de problemas específicos.
c).Foi extemporânea e sem estrutura retórica.
d).Foi na maioria dos casos um diálogo (incluía debates e interrupções por parte da audiência) em vez de um mero monólogo (apenas um sentido).

Colocando o sermão como algo posterior ao período bíblico Frank responde a seguinte pergunta: De onde vieram os Sermões Cristãos?
É claro e direto ao responder:"O sermão cristão foi adotado diretamente da fonte pagã da cultura grega!" Frank está referindo a retórica criada pelos sofistas.

Os Reformadores e os Puritanos

"Durante a era Medieval, a Eucaristia dominava a Missa Católica Romana, e a pregação ficou para traz. Mas, com o surgimento de Martinho Lutero (1483-1546), o sermão recuperou sua proeminência no culto de adoração. Lutero concebeu erradamente que a igreja servia para convocar pessoas para escutar a Palavra de Deus. Por esta razão, certa vez ele chamou o edifício da igreja de Mundhaus (boca ou casa de oratória)!"

E ainda Calvino: "Seguindo as normas de Lutero, João Calvino (1509-1564) arrazoou que o pregador é a “boca de Deus”. (Ironicamente, tanto um como o outro, com veemência, rechaçaram a idéia de que o Papa era o Vigário de Cristo)."

"Os Puritanos adotaram o estilo de pregar usado por Calvino. Qual era esse estilo? Era a exposição das Escrituras de forma sistemática."

e ainda: "Calvino era um especialista nessa área. Antes de sua conversão ele empregava este estilo comentando o autor pagão, Sêneca. Ao se converter passou a pregar sermões, ele aplicou o mesmo estilo analítico à Bíblia."

"Seguindo o caminho de seu pai João Calvino, os Puritanos centraram todos seus cultos eclesiásticos em torno do ensino sistemático da Bíblia. Pretendendo evangelizar a Inglaterra (purificá-la dos equívocos Anglicanos), os Puritanos centraram todos seus cultos em torno de exposições bíblicas, versículo a versículo, estruturadas, metódicas e lógicas. Sua ênfase sugeria o Protestantismo como a religião do “Livro”. (Ironicamente, o “Livro” nada sabe sobre sermão!)."

Concluindo
"O sermão do púlpito não é o equivalente à pregação encontrada nas Escrituras. A prática do sermão não é encontrada no Judaísmo do AT. Não é encontrada no ministério de Jesus, nem na vida da Igreja Primitiva. Além disso, Paulo disse aos gregos convertidos que ele próprio recusou ser influenciado pelas formas de comunicação utilizadas pelos pagãos de seu tempo."

Eu, particularmente, concordo com essas palavras proferidas pelo Frank.

Abraços.

Pr. Zwinglio disse...

Gutierres,

Se vc mudar sua afirmativa de "ápice do culto" para "mais uma parte importante de um contexto cultual", vc resolve a questão sem maiores prejuízos emocionais (desgaste emocional provocado pelo anseio da réplica, tréplica...) e interpretativos.

Só q pra fazer isso vc terá q imitar ao Mestre quanto à Sua humildade:

"sendo em forma de Deus, não teve por usurpação ser igual a Deus." (Fp 2:6)

Tens coragem?!!!

Lucimauro*Assembléia de Deus disse...

A paz do senhor,gutierres.
Belo texto,pertinente. Independente da liturgia do culto com relação a parte da palavra ser ou não estratégia da Igreja primitiva nos tempos dos apóstolos,isso não vem ao caso, a realidade é que:
No culto cristão a parte da pregação da palavra é sim a parte mais importante do mesmo.
E o que tem acontecido na Igreja hodierna acaba nos preucupando muito pois,a parte da palavra que dá ao pecador o conhecimento de que ele precisa de Jesus,que deu e continua dando o crescimento da Igreja do Senhor,por parte de muitas Igrejas inclusive nossas Assembléias já não tem mais primazia,o que temos visto são cultos totalmente sem decência e ordem onde a prioridade é só o louvor e canticos que não possuem nenhuma base bíblica,coreografias e apenas 5 minutos restantes para pregação da palavra.
A caminhada continua.
Daquele que ama a Assembléia de Deus e seus orgãos históricos.

Victor Leonardo Barbosa disse...

Zuínglio, o fatod e você ser pastor que é(o últim que falou frase semelhante, apenas mudando para "teólogo") não muda o fato do Kerigma ser a base e o ápice do culto, a parte mais importante do culto à Deus,uma vez que, apesar d enão haver uma frase explícita disso, é uma inferência lógica totalmente plausível e bíblica, a pregação, quando extraída da Palavra de Deus, e de acordo com a Palavra de Deus, certamente é Palavra de Deus! infelizmente para as pessoas hoje têm grande dificuldade para aceitar a suficiência das escrituras e a verdade bíblica como é..
O fato de Gutierres usar Barth não significa que ele está manipulando a sua teologia. Não cncordo com tudo o que Barth disse, mas isso não significa que tudo que ele escreveu se jogue no lixo.

Caro Amaral, infelizmente sua posição relativista acabando prejudicando a causa da verdade.

"Muitos porderão questionar minhas assertivas dogmáticas, mas eu não me justificarei por elas".

Lloyd-Jones, Pregação e Pregadores.

André Amaral disse...

Victor Leonardo,

Tenho uma pergunta - Até Quando o povo que diz ser a bíblia a única regra de fé e prática vai continuar sustentando tradições em que a ÚNICA regra de fé e prática desconhece?

Abraço.

Não sei de onde você tirou que sou relativista, mas tudo bem...

james disse...

A Paz do Senhor a todos.

“Que fareis, pois, irmãos? Quando vos ajuntais, cada um de vós tem salmo, tem doutrina, tem revelação, tem língua, tem interpretação. Faça-se tudo para edificação.” (1Coríntios 14.26)

Podemos notar que o Senhor nos ensina a fazer tudo para edificação da igreja, do corpo, diante disto, temos a certeza que nem um nem outro, nem teólogo nem indouto, nem a frase de um nem a frase de outro, poderão mudar os rumos da Igreja de Cristo, pois os rumos da Igreja de Cristo são espirituais, para os verdadeiros adoradores, que adorem a Deus em espírito e em verdade, para aqueles que buscam a edificação, que buscam a santificação, que buscam entendimento.

“Sou teu servo; dá-me entendimento, para que eu conheça os teus testemunhos.” (Salmo 119.125)

Tanto se falou de homens, de expressões, mas com relação à Palavra de Deus, notei a afirmação do irmão Gutierres, na passagem bíblica de Lucas 10.38-42, onde afirma que Marta estava disposta a servir a Jesus (diaconia – louvor – adoração – veneração).

Marta na realidade estava preocupada com os afazeres cotidianos da vida, onde conclui-se que Marta não estava adorando, nem louvando, nem venerando ao Senhor.

A Bíblia nos diz que Marta “andava distraída em muitos serviços” e “ansiosa e afadigada com muitas coisas”, o que demonstra a realidade de muitas pessoas em seu cotidiano, estava como muitos ‘evangélicos’, não notando o chamado de Jesus “eis que estou à porta e bato” e Marta não estava preocupada em estar “aos pés de Jesus”, como foi o caso de Maria, esta sim, “escolheu a boa parte”, adorando ao Senhor, como nosso amado Salvador afirmou “Maria escolheu a boa parte, a qual não lhe será tirada”.

Podemos também notar a fraqueza de Marta quando da ressurreição de Lázaro, seu irmão, e como Maria esperou por Jesus, e quando chamada, chegando onde Jesus estava, “lançou-se aos seus pés”, adorando-o com esperança (João 11.1-45).

Em sendo assim, irmão Gutierres, quando foi que Marta se dispôs a servir (diaconia – louvor – adoração – veneração)??? Pois como servir a Deus estando distraída ou ansiosa ou afadigada???

Portanto, Maria foi uma verdadeira adoradora, e não ficou com discussões como sua irmã Marta. Maria escolheu a boa parte, adorou ao Senhor Jesus.
Ela não ficou idolatrando homens nem exibindo seus dotes acadêmicos, ela simplesmente adorou ao Senhor.

Aliás, irmão Zwinglio, como vc afirmou “A Bíblia é a Palavra de Deus e ñ o próprio Deus.”, ‘contornarei’ alguns versículos:

“No princípio era o Verbo, e o Verbo estava com Deus, e o Verbo era Deus.” (João 1.1)
“... chama-se Fiel e Verdadeiro... E estava vestido de uma veste salpicada de sangue; e o nome pelo qual se chama é a Palavra de Deus.” (Apocalipse 19.11-13).

Logo, a Bíblia é a Palavra de Deus, ou Deus é o Verbo, ou o Verbo é a Palavra de Deus... ‘técnica bíblica’ a sua afirmação???
Bem é verdade que não se deve adorar a ‘Bíblia’, mas adorar ao Senhor, em espírito e em verdade.

James
www.jesusmaioramor.blogspot.com

Ednaldo disse...

Pentecostal é polêmico até quando tenta ser conservador.

:)

Ednaldo.

Victor Leonardo Barbosa disse...

caro Amaral, tirei isso depois de ler vários de ses posts aqui colocados, onde a única coisacerta que seid e você, é que defende a "teologia(liberal)simples" e é contra a ortodoxia".

Quem disse que a palavra desconhece tal coisa? Como afirmei, isso é uma inferência totalmente plausível, uma vez que é por meio do Kerigma que aprouve a Deus salvar os que crêem, que o mandamento de Jeus é que fizéssemos discípulos, ensinando-os, uma vez que a Bíblia é Thepneustos? Uma vez que palavra é a norma para nossas vidas? Uma vez que Paulo, esdras e tantos outros se demoram tanto para pregar? Uma vez que os dons não estão acima da Palavra, muito menos a oração e cânticos?

infelizmente o que eu vejo é que muitos têm abandonado a Bíblia como voz de Deus, tratando-a coo um mero documento que fala algumas coisas a respeito de Deus.

Muitos querem adorar em espírito e em verdade, mas qual verdade?

Pr. Zwinglio disse...

James, Paz de Cristo.

"Logo, a Bíblia é a Palavra de Deus, ou Deus é o Verbo, ou o Verbo é a Palavra de Deus... ‘técnica bíblica’ a sua afirmação???

Bem é verdade que não se deve adorar a ‘Bíblia’, mas adorar ao Senhor, em espírito e em verdade."

-----------------------------------

Só pra entender o q vc quiz dizer acima pergunto-lhe:

1° Vc propõe q a Bíblia é o Logos e que o Logos é a Bíblia?

Se sim, vc propõe também q

2° Ñ devemos adorar a Bíblia sendo ela o Logos? Mas sendo ela o Logos, ao adorarmos a Este ñ estaríamos adorando àquela?

Ilumine meu entendimento por favor.

-----------------------------

Victor, Paz de Cristo.

"Zuínglio, o fatod e você ser pastor que é(o últim que falou frase semelhante, apenas mudando para "teólogo") não muda o fato do Kerigma ser a base e o ápice do culto, a parte mais importante do culto à Deus..."

-----------------------------------

Me diga quem foi q disse q pelo fato deste pobre homem aqui ser pastor ñ muda...

Me diga quem foi para q eu possa cortar-lhe a mentira dos lábios.

-----------------------------------

Entendam de uma vez por todas:

1° A Palavra de Deus é importantíssima para a práxis cristã.

2° O real valor dado a Ela é identificado pelo tempo q gastamos, por exemplo, em frente à televisão e pelo tempo em q estamos debruçados sobre Ela. Quem tem mais a minha atenção?

3° A rigor, a vida de culto ao Senhor consiste em um cotidiano cultual perante a Ele. Isso tem q ser feito em casa, nas comunidades, congregações, nas instituições de ensino, no trabalho, no lazer... e nem sempre, nestas esferas, se pode ler ou ouvir as Sagradas Letras e isso em nada inferioriza o culto ofertado aqui ou ali.

4° Essa fixação por ressaltar o culto congregacional, como se fosse o único lugar onde se pode estudar, ouvir a pregação da Palavra, é coisa de quem está com o ângulo visual prejudicado pelas tradições, costumes e hábitos denominacionalistas.

5° Pergunto: a quem o Pai procura?!!! Procura aquele q O adora em espírito e em verdade.

Se eu adentrar em uma reunião congregacional, orar, adorar ao Senhor em espírito e em verdade, e tiver q sair na hora da prédica, quer dizer q o meu culto foi incompleto?!!!

Só os religiosos, no sentido ruim da palavra, é q podem responder à minha pergunta com um SIM.

Já Deus, q sonda mentes e corações, q viu em mim a espontaneidade, a profundidade e a verdade da minha adoração, dirá q NÃO!!!

Ele, Deus, procurou e encontrou um adorador q O adorou dentro de Seus pré-requisitos.

Quem perde o ápice, perde o melhor.

Mas, como é o melhor, se quem tá pregando pode falar bobagem, como muitos falam por ali e por aqui?

E se eu ñ concordar com a pregação, como será esta a melhor parte?!!

Nem sempre a boca dos pregadores é boca de Deus e isso por si só, já indica deficiência e ñ ápice.

6° Quantas vezes a Bíblia interia já foi lida? Quantas vezes o NT já foi lido?!!

Querem saber? Já basta!! Arrumem textos descontextualizados e fundamentem o q quiserem!!

Gutierres Siqueira, 19 anos disse...

MEU PROTESTO!!!


Fica registrado o meu protesto, como membro da Igreja Evangélica Assembléia de Deus, referente ao congresso anual dos “Gideões Missionários da Última Hora”. Pois segundo o site oficial desse evento (http://www.gideoes.com/encontros/26/), os pastores José Wellington Bezerra da Costa e Silas Malafaia, ambos membros da Mesa Diretora da CGADB, irão participar desse congresso.
O trabalho missionário dos GMUH é indiscutivelmente eficaz e tem levado muitas pessoas a Cristo. O meu protesto é em relação ao congresso anual, que é denominado de “o maior encontro pentecostal do planeta”. Não há nada de pentecostalismo clássico nesse evento e sim, aberrações trazidas de fora, como a “Bênção de Toronto” e “pregações” de diversos animadores de auditório. Fico triste por ver a presença dos ilustres pastores nesse evento, o que aumenta o gabarito dos organizadores.
Fica o meu protesto nesse espaço!!!

André Amaral disse...

Gutierres,

"Fico triste por ver a presença dos ilustres pastores nesse evento, o que aumenta o gabarito dos organizadores."

Ilustre pastor Silas Malafia???????


Sem comentários...

Eliseu Antonio Gomes disse...

Amado

Não seria correto cogitar que as presenças dos pastores Silas Malafaia e José Wellington, no congresso citado, é resultado do esforço em manter as raízes, assembleianas, pentecostais?

Para haver mudanças é preciso mudar preletores...

Como vai seu diafragma? Como está sua dicção? No futuro, 36º GMUH poderá ser você pregando lá!

Em Cristo,

Eliseu Antonio Gomes
http://belverede.blogspot.com/

Vitor Hugo da Silva disse...

Gutierres!

Vejo isto como algo positivo. Não que eu concorde com tudo com que o pastor Silas Malafaia pregue ou fale, porém, o mesmo possui uma espiritualidade mais adulta que vários pregadores deste evento. Isto é importante, pois pode ser o início de uma mudança, não radical, mas ponderada. E é este o caminho, ponderação, equilíbrio!

É claro, que o pastor Silas deverá ser quem ele é realmente. Pois, em muitos lugares os pregadores são como um camaleão, ou seja, se adquam ao ambiente em que estão inseridos.

Quem sabe passarei por á no dia de sua ministração!

Vitor Hugo

Ednaldo disse...

Gutierres o teu protesto vai dar o que falar.

Deixa o Zwinglio ler.

Mas sinceramente não vejo problemas em o Pr. José Wellington e o Pr. Silas Malafaia participarem do congresso anual, vejo sim nisso um avanço, ou você tá com medo dos citados pastores se neo-pentecostalizarem? (rsrs), acho que é bom para o congresso terem preletores diferentes dos que na maioria vem participando, Silas Malafaia não vai mudar seu jeito de ser e de pregar por causa do congresso, muito menos o Pr. José Wellington.

Não vou protestar, vou aplaudir. Já imaginou se nos proximos anos eles começam a convidar os pastores Altair Germano, Geremias do Couto, Ciro Zibordi, Silas Daniel, Carlos Roberto, Elienai Cabral?

Vai ser bom meu irmão.

Em Cristo,

Ednaldo.

P.S.: Melhor que isso, só se todos se tornassem calvinistas. :)

Pr. Zwinglio disse...

Gutierres,

Não se preocupe ñ porque o céu já está loteado:

de um lado ficará vc e aqueles sectaristas vaidosos q comungam com sua posições infantis e heréticas;

do outro ficarão os marginalizados por vocês, porém amados, igualmente, pelo SENHOR.

Kros líderes PENTECOSTAIS-CLÁSSICOS, é esse tipo de liderança q vocês estão preparando para o presente e para o futuro é?!!

Pensam q são os donos da verdade, q são os melhores exegetas do mundo, q são o déposito da fé, q são os preferidos do SENHOR... me dá nojo tanta jactância.

Q o SENHOR livre a sua IGREJA dos q amam e lutam pela confusão, pela briga, pela cisão, dos filhos dEle.

Às vezes eu fico pensando se vale a pena retrucar coisas desse tipo...

Victor Leonardo Barbosa disse...

É importante ver sua preocupação e protesto Gutierres, uma vez que não sei extamente se os pastores organizadores mudarão sua postura e doutrina simplesmente por ter convidado José Welligton e Silas Malafia.
Pelo o muito qe já vi em casos parecidos, creio que o GMUH só mudará quando seus líderes e promotores apresentarema mudança, e não com os preletores convidados.
Obviamnete não qeustiono a espreança dos irmãos, pleo contrário, também torço pela mudança, todavia, o protesto do Gutierres foi importate, nem que tenha sido para alertas os preletores qe, quem sabe, dão uma olhadinha neste blog.

Abraços irmão e paz do Senhor!!!

james disse...

A Paz do Senhor a todos.

Gutierres, será que a GMUH é Marta, e os ilustres é Maria, ou vice versa. Uns servem a Cristo e outros estão afadigados. Ou não realidade servem a si mesmos???

Será que neste evento haverá 'pastoras' como preletoras e cantores batistas, como no Congresso Mundial das AD, em Portugal, aprovado pelo ‘comitê mundial’ (do qual a AD Brasil participa)???
Agora que terá teologia da prosperidade, ah! Isto terá!!!

Ilustres!!!

Pr. Carlos Roberto disse...

Caro Gutierrez,
Graça e Paz! (uma tentativa de provar que não sou tão radical assim, rsrsrsr...

Parabéns pelo texto.
Infelizmente, no meu entender, o fórum foi aos poucos tirando o foco do assunto principal, com o qual concordo plenamente.
É necessário sim, priorizarmos o ensino da Palavra de Deus, o louvor genuíno e verdadeiro, em detrimento das festas "espirituais" onde são oferecidos "salgadinhos e pirulitos".
Igreja é coisa séria e não entretenimento espiritual.
Com respeito e amor cristão a todos os contrários ao que penso, quero aqui reiterar meu apoio a voce Gutierrez, um jovem que está sendo lapidado para dar continuidade ao árduo ministério apologético, que poucos querem, justamente porque não dá fama nem retorno financeiro, mas é bíblico e necessário à causa do Mestre.
Quanto ao protesto sobre a participação dos Diretores da CGADB no Congresso dos GMUH, vamos aguardar, pois pode ser uma tentativa da direção, em equilibrar o que já estava quase sem retorno, além do que, ficaria muito difícil para o Presidente da Convenção Geral, Pr. José Wellington, negar atender o convite, até porque seus organizadores, em que pese os problemas reais citados por vc., serem membros da CGADB.
Quem sabe será o momento certo para Deus usá-lo, com uma mensagem que faça os demais preletores repensarem sua forma de atuação.
Quanto ao comentário do Ednaldo, quero agradecer meu nome citado no rol de preclaros pregadores, mas não é assim que me sinto, ou seja, não estou a altura de participar dessa galeria, no entanto,agradeço a Deus pela vida deles e procuro seguir os seus exemplos.
Um grande abraço a todos.
Pr. Carlos Roberto

Pr. Zwinglio disse...

Kro colega Carlos Roberto


"festas "espirituais" onde são oferecidos "salgadinhos e pirulitos."


"Igreja é coisa séria e não entretenimento espiritual."

-----------------------------------

Muito bem!!!

Digo-lhe que a

Eu sou IGREJA/TEMPLO e gosto de salgadinhos, pirulitos... e entretenimento.

Ah!!! E sou sério também.

Inversões... Sei não...

André Amaral disse...

Carlos Roberto,

"É necessário sim, priorizarmos o ensino da Palavra de Deus, o louvor genuíno e verdadeiro, em detrimento das festas "espirituais" onde são oferecidos "salgadinhos e pirulitos".
Igreja é coisa séria e não entretenimento espiritual."

Eu adoro quando depois do culto tem salgadinhos, refrigerantes e etc. Pra mim, é a melhor parte

Pr. Carlos Roberto disse...

Prezado Pr. Zwinglio e André Amaral,

Muito obrigado pelo tempo que dispensaram em responder meu singelo, mais sincero comentário.

Não pretendo utilizar este espaço para divagar em discussões inócuas, até porque pelos vossos pareceres, os irmãos já tem conclusivas definições sobre o que pensam acerca do assunto citado.

Nesse caso, não tenho a pretensão de convencê-los, assim como também declaro já ter pensamento formado a respeito.

Quando falo de culto verdadeiro, mensagem e louvor genuíno, bem como de "festas espirituais", "salgadinhos e pirulitos", e os irmãos respondem como responderam, tenho a nítida impressão que, na melhor das hipóteses nos referimos a interpretações diferentes e definitivamente não falamos a mesma coisa.

Em sendo assim, que o Espírito Santo nos leve a refletir e ponderar da melhor maneira, segundo a sua perfeita vontade, de tal maneira que não usemos de espaços tão importantes, como o Teologia Pentecostal, para jogarmos palavras ao vento, sem a pretensão de chegarmos a qualquer lugar.

Que o Senhor vos abençoe rica e abudantemente, e não me desampare.

Quem sabe em algum dia possamos chegar a um acordo e dizermos em conjunto:
Pareceu bem ao Espírito Santo e a
nós.
Um grande abraço!
Fiquem com Deus!

Pr. Zwinglio disse...

Kro colega Carlos Roberto


Palavras ao vento?!!

Não!!

Palavras segundo o Vento,

Sim!!

É o q penso.
-----------------------------------
No demais, abraços e q o Espírito Santo, consiga livrar a Igreja de Cristo das nossas tradições...
-----------------------------------

André Amaral disse...

Carlos Roberto,

Creio que você só irá dizer que pareceu bem Espírito Santo e a nós, a partir do momento que concordar com sua vã tradição, agora denominada "palavra de Deus".

Estou enganado?

Abraço.

Romeu disse...

a paz do que moreu mas vivo esta a destra de Deus todo poderozo. irmaos em cristo Jesus nao sou de nivel superior terrenos como alguns de vos outros, mas tenho um ponto de vista pessoal a relatar, desculpa a franguesa mas vcs me lembrao muito os doutores da lei antes de cristo e cheios de dogmas pois cristo nao morreu esta vivo e se esta vivo o ministerio dele nao acabou pois falo com ele todos os dias e as vezes ele nos fala como devemos agir e nen sempre e seguindo ordens como os senhores estao se comunicano sobre se Jesus nunca lhe pediu alguma coisa fora do que esta escrito na biblia e porque esta faltando intimidade entre vcs e eles continuen lendo atos dos apostolos e quem sabe um dia entenderao que Deus nao so apenas falo , mas fala ate hoje deichemos de tentar saber o que e mas importante em um culto a ceculos passados e nos empenhamos em saber o que e importante para Deus agora, sabemos o que Deus ja fez mas o que ele esta fazendo agora e mas importante. fique na paz amados.amen e Gloria a Deus por suas vidas. Alex Romeu. londres 28/01/2009