Pesquisar este blog

Carregando...

terça-feira, 25 de janeiro de 2011

Dicionário da Teologia Antibíblica (1)

Um dicionário com conceitos evangélicos que são antibíblicos.

O deus

Não terás outros deuses diante de mim”. (Ex 20.3)

Filhinhos, guardai-vos dos ídolos. Amém”. (I Jo 5.21)

Abaixo alguns conceitos de deus, não o bíblico, mas um fabricado na mente do evangelicalismo popular.

  1. O deus neopentecostal

Uma espécie de Papai-Noel divino. Você se comporta bem, paga os seus dízimos e ele te recompensa com belos presentes. Não existe relacionamento, pois a relação é mercantilista. Você dá e recebe dele. Ele não é senhor, nem pai e nem irmão, mas um mero comerciante com quem você faz trocas. Ele é manipulável. Você já deu sua oferta hoje?

  1. O deus coronelista pentecostal

Uma espécie de Sarney celestial. Ele ilumina uns escolhidos que podem abusar sobre outros não ungidos. Os seus filhos arrogantes, quando contestados pelas posturas imorais, lembram sempre que possuem a unção e que não podem ser tocados. Esse deus é legitimador do poder desses filhos perversos. O poder não é para um testemunho de amor do Evangelho, mas sim um poder sobre os mais fracos hierarquicamente. Você sabe com quem está falando?

  1. O deus hipercalvinista

Ele confunde soberania com tirania. Mas parecido com o destino cego dos deuses gregos, esse ser é determinista. Ele brinca com os seres humanos como meras marionetes. Ele não é um ser que age na história simplesmente, mas sim, desenhou a história completamente como um destino. Ele criou o pecado para atingir os seus propósitos. Se alguém estupra, ele quem determinou. Você já leu seu destino nas estrelas?

  1. O deus aberto

Ele é um emo. Ele chora até pela morte da borboleta. Tudo é surpresa para ele. Ele não sabe de nada, até parece o Lula. O homem é equivalente a ele ou ele é equivalente ao homem? Ninguém sabe, nem ele mesmo. Ele não possui absolutos. Ele é niilista, pois ele não confia nem nele mesmo. Ele não conhece o futuro e nem pode exercer o controle sobre nada. É o extremo contrário do determinista. Ele é o desespero em pessoa. Nele há sombra e variação. Que o homem seja niilista é até compreensível, mas uma divindade? Sim, ele é assim. Você pode ajudá-lo?

  1. O deus progressista

Ele é um defensor das minorias. Um grande agente social. Mas não conte com ele para defender crianças no ventre que sofre o aborto. Não conte com ele na manutenção de bons princípios que norteiam a vida da sociedade. Ele é sintonizado, mesmo que justifique os assassinatos de alguns não-revolucionários pelo companheiro e grande líder tirano, mas que sempre é progressista. Ele acredita na bondade humana. Ele é politicamente correto. Ele tem um reino neste mundo. Você pode reconstruir a história com ele?

  1. O deus ultraconservador

Ele está preocupado excessivamente com a sexualidade dos seus filhos, mas nunca com outras atitudes igualmente imorais, como a violência doméstica, por exemplo. Ele quer criacionismo nas escolas, pois ensinar Gênesis como um livro científico é como evangelizar. Ele luta contra a flexibilização dos costumes, mas não liga muito para abusos de suas lideranças déspotas. Ele acha que bom comportamento é o mesmo que conversão. Você já vestiu sua túnica?

_________

Deus, o verdadeiro, fez o homem a sua imagem e semelhança. O homem faz os seus ídolos a sua imagem e semelhança. Todo ídolo é um homem idealizado, sendo, portanto, um ser asco e cheio de imperfeições. Idolatria é abraçar qualquer um desses deuses. Idolatria é adorar um deus que é igual à imagem do espelho.

13 comentários:

Eber Pedro disse...

Sensacional matéria . cara você tem um dom de escrever !!!
Mais comentando sobre o texto: cara vai ser sempre assim enquanto o povo não se converter ao Jesus Cristo através da Mensagem do Evangelho.

Nando Jesus disse...

Direto, um soco no estômago. A verdade nua e crua.
Parabéns!
http://nandojesus.blogspot.com/

Pastor Geremias Couto disse...

Excelente análise.

Há também o "deus galhofeiro", que põe você em cada enrascada e depois fica rindo da sua cara!

Abraços!

Sidnei Moura disse...

Parabéns Gutierres pela excelente postagem.

Abraço!

Sidnei Moura
www.sidneiemoura.blogspot.com

Nilton Rodolfo disse...

A paz do Senhor, irmão Gutierres!

Muito bom o seu artigo.

Analisando bem, acho que há uns meses conheci um pouco melhor esse "deus coronelista pentecostal"- ele já estava lá há muito; mas ele só se manifestou "poderosamente" há poucos meses...rsrs

Que Deus tenha misericórdia de nós e nos livre desses falsos deuses.

Um abraço a todos!

zwinglio rodrigues disse...

Gutierres,

que tarefa interminável essa que você iniciou.

deuses não lhe faltarão para deles falar.

o meio evangélico é inventivo demais. acho que há um deus por detrás disso. pronto! acabo de lhe apresentar o deus inventivo -hahah.

parabéns e abraços.

Jefão disse...

muito bom

Welbert Roberto disse...

Qual é o certo?

Gutierres Siqueira disse...

É caros amigos,

Cada um desses deuses se manifesta no evangelicalismo brasileiro perturbando a nossa paz.

Esperem pelos próximos verbetes...rs

Qual é o certo? Nenhum! Absolutamente nenhum!

Fabiane Aquino disse...

sensacional!!!

alvaro disse...

meu caro , tem um monte de gente frustrada , voce acabou de dizer que papai noel não existe!!!!
bom texto , realidade gritante.

Letícia Andrade disse...

Análise muito objetiva, sem "meias verdades"... Serve para abrir nossos olhos para os deuses que se colocam como Deus.
Mas o princípio básico fica: Olhar sempre e somente para o nosso Deus, com a compreensão baseada em Sua palavra.

Matias Borba disse...

Prezado Gutierres;

"O deus coronelista pentecostal

Uma espécie de Sarney celestial. Ele ilumina uns escolhidos que podem abusar sobre outros não ungidos. Os seus filhos arrogantes, quando contestados pelas posturas imorais, lembram sempre que possuem a unção e que não podem ser tocados."

Sendo eu Pentecostal fico a me perguntar:
Quando é que esse povo ou coronéis vão entender que isso aí é mundo?

Tem gente que parece se fingir de cego...