Pesquisar este blog

Carregando...

quinta-feira, 17 de fevereiro de 2011

Engolindo os camelos e coando os mosquitos!

Guias cegos! Vocês coam um mosquito e engolem um camelo. [Jesus, em Mateus 23. 24 NVI]

É interessante observar como Jesus era implacável com os fariseus e saduceus, ou seja, a classe religiosa da época. Mas ao mesmo tempo, Jesus conversava bem com os cobradores de impostos, (que eram ladrões), as prostitutas, os endemoninhados e todo “mundo que não prestava”. Aliás, Jesus tinha péssimas companhias. Agora, quando Jesus se deparava com um fariseu a coisa ficava feia. O capítulo 23 de Mateus é enorme, com 39 versículos, mas é inteiramente um sermão de Cristo contra os fariseus.

Todo fariseu tinha o costume de coar a água potável com um pano “para ter certeza de não engolir um mosquitinho, considerado o menor ser vivo impuro” [1], enquanto isso engolia camelos, simbologicamente, com grandes pecados. Tanto a mosca como o camelo eram considerados animais imundos pelos judeus. O camelo era o maior dos animais ditos impuros. Com a força dessa analogia Jesus desmascara a hipocrisia. É interessante que a frase soa como trocadilho no original aramaico, que era a língua popular na Palestina: “Vós coais um qamla e engolis um gamla” [2].

Não só Jesus, mas os profetas no Velho Testamento condenavam a religiosidade ritualista que prezava tantos detalhes e esquecia do essencial. Malaquias é um exemplo desse combate. E é sempre assim: os que prezam detalhes acabam legalistas, como lembra H. L. Ellison:

Uma coisa é se sou muito rigoroso comigo mesmo por causa do testemunho do Espírito em mim. Se, por outro lado, eu decido que preciso observar tudo que encontro nas Escrituras, por menor que seja, a experiência mostra que eu me torno cada vez mais legalista nas minhas exigências para com os outros e cada vez mais cego para as verdadeiras exigências de Deus para comigo mesmo. [3]

Daí nasce toda sorte de hipocrisia e falso moralismo. Todos nós temos um tanto de hipocrisia. Falamos muito e praticamos pouco, quando deveríamos falar menos e agir mais. Jesus é intolerante com santidade fingida. É melhor ser um sincero pecador do que um falso moralista. É um dever agir corretamente não somente com o mosquito, mas também nunca ser profano com o camelo.

É possível obedecer uma regra e desobedecer sua essência. É possível ser fiel à lei e matar o espírito dela. É possível pagar o dízimo sobre tudo e desprezar o necessitado. É possível se vestir decentemente e ainda assim ser o pior dos maliciosos. É possível ser um fervoroso evangelista e ainda assim bater na mulher. É possível coar o mosquito e engolir o camelo. Evitar pequenos erros enquanto comentemos grandes encrencas de nada adiantará.

Os camelos denominacionais

Soube por uma irmã de Pernambuco que uma garota foi disciplinada na Assembleia de Deus de Recife por seis meses (!) porque usou calça para fazer ginástica na academia (!!!). É cada uma! Nessa mesma cidade existe uma divisão ministerial terrível que impede a comunhão dos irmãos da MESMA igreja. Os legalistas veem pecado na calça de ginástica e esquecem do mundanismo divisionista. Engolem camelos, elefantes, baleias e tentam coar um mosquitinho. Atitudes simplesmente ridículas.

O respeitado teólogo James Packer lembra do absurdo que é uma igreja querer legislar costumes. Packer chama isso de “tabus comunais”:

Esse ascetismo reacionário ainda sobrevive em alguns círculos na forma de tabus comunais sobre álcool, tabaco, teatro, dança, jogos, roupas elegantes, cosméticos e itens similares. Talvez tenha havido, e haja, boas razões para tais abstinências, em se tratando de decisão pessoal, mas tabus comunais tendem a entorpecer a consciência, em vez de avivá-la... O mundanismo foi definido em termos de quebras de tabus, e identificações de consequências mais amplas com os pecados da sociedade passaram despercebidas... O pietismo separa o mundo em vez de estudá-lo e procurar mudá-lo; é hostil ao prazer, em vez de agradecido por ele, temeroso de que o mundo adentre nossos corações montado nas costas do prazer. [4]

Você pode observar que essas igrejas que legislam costumes, os tabus comunais, são as que mais têm brigas por cargos, disputas de poder, fofocas, intrigas e divisões. Elas são altamente mundanas e ainda posam de santas. A santidade passa longe desse clima de divisão. Jesus não suporta isso!

Referências Bibliográficas:

[1] BARKER, Kenneth L. (org). Bíblia de Estudo NVI. 1 ed. São Paulo: Editora Vida, 2003. p 1656.

[2] ARRINGTON, French L. & STRONSTAD, Roger. (ed.) Comentário Bíblico Pentecostal. 4 ed. Rio de Janeiro: 2006. p 128.

[3] BRUCE, F. F. (org.) Comentário Bíblico NVI. 1 ed. São Paulo: Editora Vida, 2008. p 1588.

[4] PACKER, James Ian. Os Planos de Deus para Você. 1 ed. Rio de Janeiro: CPAD, 2005. p. 67.

16 comentários:

Anônimo disse...

A paz do Senhor meu irmão. Achei bem interressante a sua postagem sobre esse assunto. Bem Pernambucano e conheço bem a igreja referinda em em Recife . Tudo o que foi falado é verdade embora que a intenção dos lideres seja a maior possivel. Hj meu irmão acabei de me mudar do Rio de Janeiro para o estado do Pará, pois sou militar. Olha aqui em Belém vejo e sinto na pela a luta e o contraste de uma assembleia de Deus de uma região para outra. Fico muito triste pq encontro homens tentando impor uma doutrina e fazendo do povo de Deus algoz de coisas irrelevantes.

DEFENDENDO A FÉ QUE UMA VEZ FOI DADA AOS SANTOS!!! disse...

Caro Gutierres,

A paz do Amado Mestre.

Ante seu texto hiper-anti-legalista,quedo-me incrédulo por alguns instantes.

O que você define por "legalismo" eu prefiro chamar de Radicalismo.

Você segue o liberalismo em usos e costumes e qualquer opinião em contrário a sua será simplesmente ignorada.

Por isso não vou debater com você.

Quanto a hipocrisia,(e você parece ver em cada crente radical a definição perfeita do mesmo!),eu só posso te dizer o seguinte:esse é o grande mal do séc.21 e ataca a todos as classes sociais ,sejam elas cristâs ou não.Por exemplo,sou socialista,e o que vejo de hipocrisia entre os socialistas(principalmente da ala comunista e marxista)é uma coisa de arrepiar os cabelos.

Posso engolir alguns mosquitinhos de vez enquanto...mas camelos eu não engulo!!!

Minha consciência fica tranquila quanto a defesa dos usos e costumes.

Paulo,Jesus,Lutero,Wesley,Moody,Spurgeon,Daniel Berg e todos os Pais assembleianos,como ainda milhões de crentes ao redor da terra pensam como eu.

Defenderei os bons usos e costumes até a morte.E com sinceridade.Quanto aos hipócritas,Deus os julgará!

Gutierres Siqueira disse...

Caro “Defendendo a Fé”,

O mais curioso do seu texto é mencionar vários nomes como defensores dos “costumes”. Você sabia que Spurgeon fumava? E que Lutero agradeceu a Deus pela cerveja alemã? Sabia que a mulher de Vingren atuava fortemente na liderança da iniciada CGADB? Não sei donde você tirou essas ideias que esses homens fossem defensores de “costumes”.

Luciano disse...

"DEFENDENDO A FÉ..."
Hiper-anti-legalismo é o que fazem alguns autores liberais na linha do Ricardo Gondim e do Paulo Brabo, a qual, sendo seguida, vai levar ao relativismo que solapa os fundamentos do Cristianismo até reduzi-los a pó, igualando-o às demais religiões que grassam por este mundão afora.
Usos e costumes é tirar a salvação da Graça e levá-la a uma outra lei, aquela feita por homens, lei de homens, que variam de igreja para igreja e de pastor para pastor.
E não se venha falar que não, que a salvação é diferente, porque se excluem pessoas de igrejas, ou seja, do convívio com o Senhor e com o corpo de Cristo por causa de usos e costumes.
Sem usos e costumes é impossível agradar a Deus - seria o mote dos legalistas. Não, não é isso, é sem fé que não se pode agradar a Deus. Usos e costumes da forma que se quer apresentar é lei, e não é nem Lei, é lei mesmo, com letra minúscula. Apesar da bandeira que você ostenta em sua foto remeter à Lei (o que explica muita coisa), é a dos homens que se quer impingir, como disse o Anônimo, "fazendo do povo de Deus algoz de coisas irrelevantes".
Graça, meu irmão, a Graça que uma vez nos foi dada pelo nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo, sem libertinagem, por óbvio, mas com liberdade.

JOSÉ MARCOS ANTUNES disse...

Pensar que o problema da Assembleia de Deus são os costumes, é engolir um dromedário, os bons e maus costumes a muito estão relativizados.
mas vamos lutando, qualquer hora dessas Jesus vem!

João carlos Ferreira Batista disse...

caro Gutierres,paz do Senhor!
em parte eu concordo com o irmão,mais deixo claro que não sou contra usos e costumes,só creio que eles(os costumes)são mal interpretados,também penso que se levarmos tudo no "relaxado",daqui a pouco vamos ir para os cultos de bermuda etc...
"nada contra bermuda,mais penso que devemos estar com roupas mais adequadas,quando se trata de cultuar a Deus."
no caso da jovem acima,não concordo com o pastor disciplinar ela.ela estava usando uma calça de ginástica,as calças de ginástica que as moças na minha cidade usa,penso que não seria adequada para uma moça crente em Jesus,pois elas(as calças),deixam transparecer o corpo da moça que a usa,falando claramente,os órgãos genitais da moça ficam expostos,podendo levar os homens a desejar o corpo de quem a usa.ficaria legal,uma moça crente sair pela cidade,com uma calça onde seus órgãos genitais,ficam "expostos"?
não julgo a moça,o que eu penso é que cada um de nós servos de Deus devemos,saber o que vestimos,fazemos etc...
mais como o irmão mesmo disse,tais pastores ficam cegos aos usos é costumes,quando na congregação acontece coisas piores,como divisão,fofoca,mentiras etc...
no mais,Deus nos abençoe em Cristo!

DEFENDENDO A FÉ QUE UMA VEZ FOI DADA AOS SANTOS!!! disse...

Já se tornou uma bandeira a ser usada pelos liberalistas em costumes as pitadas de Spurgeon.

Se Spurgeon realmente fumava,então vamos separaro homem da obra.Sim ,eu sabia disso sim.

E também sei qe Lutero,além de curtir uma cervejinha,foi uma pessoa extremamente desbocada,maldoso e anti-semita,caso esse que os protestantes atuais de todos os matizes fazem questão de esconder.Mas não será esse insignificante e desconhecido assembleiano que vai iniciar uma cruzada revisionista da vida do grande reformador alemão!!!

Quanto a liderança da mulher do Vingren,desconheço tal fato e não costumo meter o bedelho onde desconheço a coisa.

E em minha cidade ,os conservadores ainda,felizmente,são maioria.

A paz do Senhor.

Eber Pedro disse...

Amigos !

É por isso mais uma vez que digo: Não gosto de debater uso e costumes, qualquer argumento e contestável! já perceberam né?, Bom liberalismo ou Radicalismo desejo que vão para o raio que os parta, As duas raças são hipócritas... e Eu também ! ainda que um pouco; todos somos!
Tudo que devemos viver está no Evangelho as regras e o modelo de vida na liberdade de viver em verdade está no Evangelho e nas explicações do evangelho através das cartas.
No evangelho não há Hipocrisia por que ele é a Revelação de Jesus Cristo que é a Revelação de Deus para todos que nele crê.
O homem tenta denunciar alguém por realizar alguma ação enquanto realiza a mesma ação literalmente ou conveniente com aquilo em seu interior, mais quando aprendemos a nos rejeitar para seguir a Cristo de verdade temos que abandonar a hipocrisia e isso só ocorre através do Espírito da Verdade que nos convence que estamos errados ou fora da linha correta , e isso é um processo continuo de melhora. ninguém buscará santificar-se se não for os Espírito Santo que o convencer e isso chega as pessoas através da mensagem do Evangelho não por imposições de cultura / exemplos de vida de outras pessoas de épocas diferentes / Disciplina /, alias o santificar-se tem a ver regeneração da conscienciosa do individuo no evangelho no meio que ele estiver .

Para o alvo disse...

Numa igreja Assembleia de Deus em Delfim Moreira-MG, uma irmã teve câncer e precisou fazer quimioterapia. Como consequência perdeu a maior parte dos cabelos. Como o que sobrou a tornaria uma figura esquisita, resolveu cortá-los. Pasmem, o pastor-santarrão-de-plantão a disciplinou proibindo-a de participar da Santa Ceia. Pergunto: onde está o amôr?

João carlos Ferreira Batista disse...

caro,PARA O ALVO.
nesse caso é realmente falta de sabedoria do pastor.ele está "coando mosquito e engolindo camelo".mais isso não é culpa de usos é costumes,e sim da falta de sabedoria do pastor.

Daniel.com disse...

Ouvi de um Pastor a um tempo atrás o seguinte: "O maior inimigo do homem não é o diabo, e sim a ignorância."
E essa é a grande verdade... Muitos líderes ao invés de pregarem o Evangelho Puro e Simples de Jesus, ficam colocando usos e costumes sem nenhum respaldo bíblico... Muitos colocam os usos e costumes no mesmo patamar da Sã Doutrina e isso é gravíssimo... Não sou e nunca serei contra "os bons usos e costumes", desde que os mesmos não atrapalhem as pessoas de servirem e produzirem no Reino de Deus...

...Diga não à Religião, e sim ao Evangelho de Jesus...

Fiquem na Paz!!!

Luciano disse...

“Bons e maus costumes”, escreveu José Marcos.
“Os bons usos e costumes”, mencionaram Daniel.com e “DEFENDENDO A FÉ...”.
E eu pergunto: quem é que define quais usos e quais costumes são bons ou maus?
A resposta em geral é o Espírito Santo.
Mas temos uma dificuldade: quem é que define que é o Espírito Santo que está dizendo que os usos e os costumes são bons ou maus?
Vejamos, por exemplo, o uso das calças por mulheres. Algumas denominações, poucas, é claro, dizem que as mulheres não podem usar calças, mas somente saias. E, se uma mulher que pretenda ser membro daquela igreja não se dispuser a deixar de usar calças, não o será. Outras dizem que essa questão é cultural. Em outras denominações a coisa vai depender do pastor da igreja local. O fato é que em cada uma delas se tem certeza absoluta que o Espírito Santo falou ao coração do pastor, do líder fundador ou do colegiado responsável que a sua posição é a certa, e as demais são erradas. Na mesma linha vão o corte de cabelos das mulheres, as blusas de alcinhas, o baton vermelho, as argolas nas orelhas e por aí vai.
Quem está certo?
Eber Pedro escreveu que a solução para o problema “chega as (sic) pessoas através da mensagem do Evangelho”. E qual líder de igreja, pastor, professor de EBD, membro, ao defender seus bons usos e costumes não o embasa na mensagem do Evangelho? E para isso há um versículo que é usado por gregos e goianos: “Tudo, porém, seja feito com decência e ordem” (1Co14:40).
Serve para todos, porque aí é só classificar como indecência o que entendemos como “maus” usos e costumes, e dizer que Deus está falando na sua Palavra que mulher usar calças, ou mulher cortar os cabelos, ou mulher usar baton e esmaltes vermelhos, ou mulher usar blusa de alcinhas, ou mulher usar argolas nas orelhas – e para não deixar os homens de fora -, ou homem usar barba, ou homem fazer a barba, ou homem ter cabelos compridos, enfim, que o que já classificamos de antemão como “maus” usos e costumes são isso, “maus” usos e costumes.
Vai para a boca de Deus o que antes saiu das nossas mentes e isso é impingido ao rebanho e, sim, pessoas são excluídas do corpo de Cristo por causa dos “bons e maus usos e costumes”.
É curioso que, quando perguntamos a alguém que adota determinado uso ou costume se o crente que não o faz vai ser salvo, a resposta é sempre evasiva. Já ouvi dizer que “a salvação é diferente, aí é coisa que o Senhor é quem vai decidir”. Mas, na prática, quando em determinada denominação se impede que a irmã que não quer deixar de usar calças se torne membro, o que estou fazendo é impedi-la de fazer parte do corpo de Cristo. E como é que ela irá para os céus se não faz parte do corpo de Cristo? E, perguntando ao líder que defende essa postura o porquê do seu posicionamento ele virá com a “mensagem do Evangelho” “através do Espírito da Verdade” que o convenceu que do contrário estarão “errados ou fora da linha correta” (citações do Eber Pedro) e que esse, por isso mesmo, é o bom uso e costume.
Vejam que não coloco aqui uma pergunta ou uma crítica ao que acima foi dito, mas expresso uma perplexidade, e talvez alguém diga “tá bom, Luciano, e o que é que a gente faz então?” E eu digo sinceramente que não sei, daí ser uma perplexidade constatar esse problema e aguardar, se houve, colaborações dos irmãos.
A paz do Senhor Jesus.

Daniel.com disse...

Prezado Luciano...

Concordo plenamente com tudo que o irmão disse... É quase impossível chegarmos a um consenso, visto que há coisas que pra mim são indecentes e para outros não...

Precisamos usar o bom senso e pedir a orientação do Espírito Santo para não sermos relaxados, mas também para não sermos turrões a ponto de proibir uma mulher (só porque usa uma calça comprida decente) de fazer parte do corpo de Cristo...

Fiquem na Paz!!!

Anônimo disse...

um faz diferença entre dia e dia, outro julga os dias por igual, o apóstolo paulo explicou tudo

RIZALDO LEVITA disse...

Amado, a paz!
Sou em numero, gênero e grau a favor da graça sem estes costumes idiotas que varias denominações incrementam a Palavra de Deus, ou seja, muletas de santidade que não santificam em nada, antes aparentam-na. Agradeço a Deus por pessoas como você que se preocupam em falar a verdade, ainda que provoquem dor a estes legalistas que praticam algumas coisas da Lei e esquecem outras. Aqueles que querem praticar a Lei vão ser condenados pela Lei, ou seja, são corajosos por enfrentar pela Eternidade o INFERNO.

Anônimo disse...

Quando ouço falar de usos e costumes, sempre me lembro que quase todas as denominações evangélicas proíbem o consumo de bebida alcoólica.
Aí lembro que o primeiro milagre de Jesus foi justamente transformar água em vinho.
Lembro do próprio Jesus debatendo com os fariseus e arrostando-lhes que se aparece um profeta como João, que era asceta, é criticado por ser asceta.
E se aparece um profeta como Jesus, que bebe vinho, é chamado de beberrão.

E antes que venham dizer que "o vinho de antigamente não tinha álcool" (como já ouvi de outros ignorantes), já antedigo: vão estudar antes de destilar ignorância, afinal de contas, Noé ficou bêbado bebendo vinho e diversos outros relatos de embriagues constam na bíblia em períodos muito anteriores a Jesus.