Pesquisar este blog

Carregando...

sexta-feira, 27 de maio de 2011

Caros deputados evangélicos!

O que comentar do Kit-Gay? É uma aberração do Estado que ensina a "sexualidade correta". É a propaganda de uma opção sexual transvertida de campanha contra o preconceito. É o onguismo determinando o que é a verdadeira virtude. O Kit-Gay é em si ridículo.  

Então, os deputados evangélicos derrubam essa aberração com uma conversa com a presidente Dilma Rousseff. Legal, não é verdade? Nem tanto assim. Os deputados barganharam com a presidente. Eles ameaçaram convocar o milionário ministro Antônio Palocci (que ficou rico em poucos anos como deputado e "consultor") em uma convocação da Câmara.  Barganha pura! 

Meu Deus! Não se corrige um erro com outro grande erro! Até quando veremos os deputados evangélicos nos levando a vergonha?  

Não preciso comentar mais nada! Só peço que a bancada evangélica não haja como corruptos! Só isso! Ou seria perdir demais?

17 comentários:

Matias Borba disse...

Gutierres,
a Paz!

Acabei de falar disso, uma barganha que não condiz com o que o reino de Deus nos ensina.

A pergunta que fica é: os televangelistas e essa bancada evangélica, irão assumir a barganha? A resposta já temos não é mesmo?

Essa bancada já mostrou para que veio, primeiro foi o aumento do mínimo, e agora isso.
Deus tenha misericórdia!
A braços!

Blog da FATENE disse...

Caro Gutierres,
Obrigado por suas sábias palavras a esse respeito.

Fico pensando em qual seria um pior: um kif gay nas escolas (que é, em sua natureza, ridículo e desnecessário) ou uma bancada que diz se evangélica, mas só dá exemplos de corruptos.

Chega disso!!!

Luciano de Paula Lourenço disse...

Querido, concordo com suas palavras! Mas, na pior das hipóteses, neste momento de degradação moral das famílias, quero parabenizar a atitude dos políticos que evitaram que esse LIXO chegasse às escolas públicas, e, com certeza, à maioria dos lares brasileiros.
Um abraço!

Edja disse...

Guitierres,

Sabe o que me espanta? a grande maioria dos evangélicos acharam normal a forma como os deputados conseguiram a suspensão do kit gay. Esconder (mesmo que seja suposta) corrupção em troca do veto foi aplaudido pelos crentes. Conseguiram vetar uma sujeira- o kit gay- em troca de esconder outra - o enriquecimento rápido do ministro Palocci. Usar qualquer arma nessa luta, mesmo que ela seja fora da moral cristã, é saudável?
Cada vez eu me decepciono mais...

Paz e Graça!

Joabe disse...

O grande problema é a falta de uma proposta cristã, pelo menos no Brasil, para a politica. O cristão que ingressa na politica aprende a mesma nos bancos das escolas, ou seja, é doutrinado pelos professores esquerdistas, ou seguem a trilha da politicagem de picaretas burocratas. Então, sonhar com um Luther King ou Abrahan Kuyper “brasileiro” continuará sendo impossível.
Falei em um blog sobre a necessidade de se realizarem além de congressos sobre avivamento e adoração, simpósios em nossas igrejas sobre economia, artes, politica e outros temas atuais. Isto pode parecer secularismo para alguns. Entretanto, quem gosta de politica vai querer se saciar em algum lugar. E infelizmente, a “fonte” disponível não é das melhores.

vagner ribeiro disse...

Sem querer polemizar, quero dizer que o governo é maioria e não foi só com a promessa de não ajudar na convocação do Palocci, mas também de deixar de votar varias pautas importante para o governo. Por mais que pareça errado Política é mais ou menos por ai

Valter Borges disse...

Maquiavel já dizia que a lógica política não é a mesma lógica cristã! Por isso que há incompatibilidade!!
Entretanto, não sejamos inocentes! Maquiavel já dizia que os meios justificam os fins!
Nesse caso específico, a negociação (prefiro não chamar de barganha) é efetiva e legítima, pois, pior que acobertar uma pessoa, é permitir a loucura do kit gay!
Lembro que perfeição é só no céu! E, além disso, foi para isso que os deputados estão lá, para, no mínimo, trabalhar em fvor do Evangelho e o Reino de Deus!
Repito: não esperem perfeição, mas, sim coerência com a fé e a lógica política. Pelo menos eles estão na esfera das possibilidades de "negociações". Eles não são piores que aqueles que negociam a fé, a igreja, os templos e vendem a própria mãe de Deus!
Abraços
http://www.teologiaesociedade.com.br

Mario Sérgio disse...

A Bancada Evangélica a cada ano que passa, é menos evangélica. Um acontecimento desses mostra que nossos "representantes" estão assimilando a cultura política do nosso país, ao invés de transformá-la.

Abraços!

Esteves disse...

Os nossos deputados evangelicos foram eleitos tambem barganhando algumas coisas(cargos, salários, dinheiro de emendas e etc)com seus lideres nas igrejas... Será desse jeito o mandato desses "homens de Deus". Afinal foi isso que eles aprenderam nas igrejas de onde vieram... "os fins justificam os meios".... a corrupçao do Palloci , é pouca coisa, comparada ao que esses senhores ja tiveram que barganhar na vida.

João Emiliano Neto disse...

Dos males o menor, que o Palófi fique com a grana e com o carguinho dele de empregadinho estatal, mas que a educação das crianças permaneça livre de propaganda sistemática gay.


Glórias somente a Deus pela - ainda que capenga - bancada cristã no Congresso Nacional do Brasil!

Almir disse...

Olá,

Lí uma matéria no GospelPrime que apontava para esse seu artigo.

Olha, eu orei para esse Kit cair, e fico muito triste quando dizem que ele caiu por causa de uma suposta CPI do Palocci.

Se permitir quero colocar os mesmos argumentos que postei lá no outro site:

Dizer que o “kit gay” foi barrado por causa de pressão e ameaça de CPI do Palocci é no mínimo uma inversão mentirosa da realidade.

Qual é o tamanho da “bancada evangélica”? Alguém sabe dizer?
- Será que eles tem poder para barrar o “Kit gay” por manobra e ameaça desse tipo?

Vamos ver..

Pesquisei na internet e encontrei uma lista dando conta de 71 “evangélicos” na câmara e 4 “evangélicos” no senado.
- Se os números estiverem errados é por muito pouco.

Então dos 513 deputados da câmara, a bancada “evangélica” representa uns 14%.

E dos 87 senadores, há cerca de 5% “crentes”.

Detalhe, dos 71 deputados “evangélicos”, 60 são da base aliada do governo, inclusive do PT e do PMDB.

Muito interessante, minhas conclusões com base nesses números são as seguintes:

1) É mentira, manobra preconceituosa, a notícia que alguns deram dizendo que a “bancada evangélica” barrou o plc 122 no senado um dia desses (5% não podem fazer isso).

2) É mentira, manobra preconceituosa, afirmar que a Dilma barrou o "kit gay" por causa de ameaça de CPI do Palocci por parte da “bancada evangélica”.

Para ter uma CPI, precisa de 1/3 das assinaturas dos congressistas, 171 assinaturas.

Nem se a “bancada evangélica” inteira (inclusive os deputados “evangélicos” que são do do PT e do PMDB) assinassem a lista isso ia acontecer – nem se a bancada tivesse o dobro do tamanho!!!

Vamos ser objetivos, duvido que uma lista para CPI do Palocci teria mais do que 30 assinaturas de “evangélicos” – a maioria é da base aliada gente. Só de algum desses 60 fazer essa ameaça ai que vocês estão falando já iam sofrem sanções dos partidos.

Conclusão final:
O Kit gay não foi barrado por causa de “manobra da bancada evangélica” ameaçando CPI do Palocci coisa nenhuma – não foi isso que fez a Dilma barrar aquelas porcarias de vídeos.

O Kit gay foi barrado por causa dos milhares de emails que o povo brasileiro enviou, foi barrado por causa da quantidade de assinaturas em diversos abaixo-assinados, foi barrado por causa de “joelhos no chão” orando por todo o país.

Foi barrado pela pressão de pais e mães de família decentes, brasileiros, indiferente da religião que professam

Forte abraço.

Gutierres Siqueira disse...

Almir, a paz!

Você viu a entrevista coletiva do deputado evangélico Anthony Garotinho? Ele disse com TODAS AS LETRAS: “Diante disso (suspensão do kit-gay) não vamos endossar a convocação de Palocci”.

Eu não falei que a bancada evangélica ia formar uma CPI, mas os deputados evangélicos junto com a oposição teriam força suficiente para "convocar" o ministro para explicações no Congresso. Isso em si não depende de uma CPI.

Infelizmente, essa é a verdade: HOUVE BARGANHA!

Anônimo disse...

Gutierres, graça e paz!

Um detalhe importante é que esse kit não foi derrubado ele foi suspenso temporariamente, passará por uma revisão (para se eliminar os excessos), mas ele será distribuido afirmou o ministro da educação. E quanto a pressão (barganha) além de ter acontecido como quer negar o Almir em seu comentário, foi por uma bancada RELIGIOSA composta por evangélicos e católicos em um total de 90 deputados. Quanto ao ministro Palócci a oposição esta fazendo de tudo para convocar uma CPI e ao Kit (revisado) mais pro final do ano sera distribuido nas escolas porque este compromisso ja foi assumido pelo mec .
Não há o que comemorar, e nem lamentos, oração...muita oração, pois e batalha esta só começando.
Abçs.
Paulo

Edja disse...

Lembrando que não foi mérito apenas dos deputados evangélicos. Deputados católicos também contribuíram.

claudiopimenta disse...

lamentavel


CADE O cordenador da campanha da dilma ?

um "pastor" de uma grande denominaçao ?


o cara nao e crente ?

quem lembra das promessas ?


esses caras sao uns s.....s

Almir disse...

Calma ai, vocês estão dizendo que estou defendendo quem tentou fazer "chantagem"?

Não estou defendendo essa atitude ai não, pra mim quem agiu mal com esse tipo de chantagem corrupta deve ser criticado sim, com toda certeza.

É questionável a qualidade desses deputados, devemos lembrar que muitos dessa "bancada evangélica" votaram contra o aumento do salário mínimo, e fizerem isso a mando do governo (do qual a maioria dos deputados "evagélicos" são aliados e possuem "rabo preso").

O que estou colocando no meu comentário anterior, espero que percebam, é que não podemos tirar o mérito da pressão popular na decisão da Dilma em barrar o "Kit".

A Dilma não fez o que fez por causa de ameaça de CPI, digo isso pelos argumentos que já expús acima.

Então peço: Critiquem, "metam o pau", esculachem quem procedeu mal, mas não digam que o Kit gay foi barrado por medo de CPI do Palocci, isso é uma desconstrução dos fatos, uma manobra que diminui a vitória do povo que, indiferente de religião, se indignou e se manifestou contra os vídeos.

Vários abaixo-assinados, milhares de emails - isso tudo foi nada?

Eu orei contra esse kit.

Abraço.

Aprendiz disse...

Você esta errado, Gutierres.

Ninguém poderia condenar o sujeito de qualquer jeito, ele faz parte do governo e estamos numa ditadura. A única duvida era sobre o que seria trocado. E o importante era impedir o molestamento de crianças. Diga então, qual e o pior crime? Roubo ou molestamento. Você deixaria acontecer um molestamento de uma criança para evitar um roubo?

Diga então, você condenaria Schindler por ter subornado oficiais nazistas ara salvar vidas? Você condenaria as parteiras egípcias que mentiram para faraó?

Quem não tem senso de proporção, não pode ser justo, pois a proporção, e não as regras é a essência da justiça.