Pesquisar este blog

Carregando...

domingo, 6 de novembro de 2011

Citações (2)

"Para o apóstolo Paulo, o Espírito Santo era uma realidade presente que habilita com experiências. Paulo não teria compreendido o protestantismo mais histórico. Eu sei que parece cruel, mas é verdade. A razão pela qual ele não teria compreendido é porque Paulo não teria entendido uma vida cristã em que a experiência no Espírito não era a chave para todas as dimensões da vida ". 
Gordon D. Fee - falando em Holy Trinity Brompton em 1996 - citado por Greg Haslam em : "Be filled with the Spirit" - Preach the Word! (Ed. Greg Haslam) - Sovereign World, London (2006) - p 606.

7 comentários:

Eduardo Müller disse...

Eu sempre achei que a Palavra era a chave para todas as dimensões da vida.


É por esse tipo de pensamento que os pentecostais, que agora teimam em diferenciar-se dos neopentecosatais, andam em roda com od erros doutrinários presentes no cerne de seus cultos baseados em experiencias.

Gutierres Siqueira disse...

Caro,

Eu não sei se você conhece a obra de Gordon Fee, um dos exegetas mais respeitados na academia protestante anglo-saxã. Ele não está defendendo que a base da nossa fé seja experiências místicas, mas está mostrando o óbvio bíblico: uma vida cristã sem experiências espirituais é algo estranho para os relatos paulinos e de Jesus.

Eduardo Müller disse...

Voce concorda comigo que há diferença entre uma coisa ser importante e ela ser a chave para a nossa vida?

Gutierres Siqueira disse...

Concordo. Mas a frase está no contexto de uma palestra. Fica difícil, nesse caso, falar qual expressão seria mais adequada.

Eduardo Müller disse...

Com isso, o leitor desavisado, que é o que mais tem nessa nossa internet, começa a dar enfase cada vez maior às experiencias que ele possa ter vivido, sem que a chave para essa experiencia se torne a palavra.

É por esse tipo de frase pronta que percebe-se uma incapacidade cada vez maior de discernimento entre o povo.

Perceba: voce é o autor do post; tem conhecimento de quem é o autor da frase; concordou que a chave pode ser outra -diferindo do texto citado; Refletiu sobre o que foi questionado no comentário anterior;

A pergunta que fica é: Será que todos os leitores conseguirão fazer essa análise? E o pior, será que essa frase será retransmitida com fidedignidade ou sofrerá distorção?

Eu entendo que voce se preocupa com os possíveis desvios presentes no meio pentecostal, e esses desvios não ocorrem com alguém bradando heresias, mas ocorre de forma sutil e se infiltra na cosmovisão que as pessoas tem da obra de Deus.

Não quero lhe acusar de nada, apenas lhe mostrar qual planta pode brotar da semente que plantamos.

Aprendiz disse...

Eduardo

Não creio que para o apóstolo Paulo houvesse um conflito para saber o que seria mais importante, a Palavra ou o Espírito. No pensamento dele, todo conhecimento era fundado na Palavras, mas só poderia ser desvendado pelo Espírito. Assim, no entender de Paulo, qualquer pessoa que dissesse que a chave para todas as dimensões da vida é A PALAVRA E NÃO O ESPÍRITO seria uma pessoa sem chave nenhuma. Alguém que tivesse conhecimento de toda a Bíblia mas não tivesse o Espirito para lhe revelar, não saberia nada.

Eduardo Müller disse...

Aprendiz,

Há um momento nas escrituras em que o Autor diz que a experiência é a chave para o andar cristão?

Eu jamais disse que devemos ignorar o Espírito, mas sim, que a chave para que possamos viver é a Palavra.