Pesquisar este blog

Carregando...

sábado, 31 de março de 2012

Apocalipse, a Revelação de Jesus Cristo

Por Gutierres Fernandes Siqueira

Abaixo segue um esboço que preparei para a Escola Bíblica Dominical. Nesse domingo estudaremos a Lição 01: Apocalipse, a Revelação de Jesus Cristo. No final segue uma bibliografia.



O LIVRO DO APOCALIPSE

     ESBOÇO AUTOR           TEMA            DATA                   PROPÓSITO

Prólogo (1. 1-8)



I. 1.9-3.22- O Senhor Glorificado e Suas Igrejas



II. 4.1- 11.19- O Digno Cordeiro e Seus Feitos no Desfecho da História.



III. 12.1- 22.5- Deus Pai e Cristo, no Grande Conflito com Satanás.



Epílogo (22.6-21)
João, o apóstolo é provavelmente o autor do último livro das Sagradas Escrituras. O mesmo autor do Evangelho Segundo João e das três epístolas universais que levam o seu nome. O apóstolo era conhecido no segundo século como “João, o teólogo”. A Consumação do Conflito dos séculos (numa pespectiva futurista).

O conforto de Deus para os corações perseguidos (numa pespectiva preterista).
Cerca de 90-96  d.C.

Alguns estudiosos apostam que o livro é pós-Nero, ou seja, escrito entre 68-69 d.C.
Há um tríplice propósito no livro: (1) Revelar os desvios doutrinários das igrejas da Ásia. (2) Fortalecer a fé e a firmeza na fidelidade a Cristo. (3) Dar aos crentes uma perspectiva divina na revelação do desfecho na história humana.





PRINCIPAIS ESCOLAS DE INTERPRETAÇÃO DO APOCALIPSE
Escola Preterista- O Apocalipse é a descrição de eventos passados, especialmente do primeiro século da Era Cristã.

Escola Histórica- O Apocalipse é uma visão panorâmica da história entre a primeira e segunda vinda de Cristo.

Escola Futurista- O Apocalipse é profético e, portanto, é uma descrição do futuro que ainda não aconteceu.

Escola Idealista (Poética)- O Apocalipse é meramente simbólico, místico e alegórico. É a representação da luta entre o bem e o mal, onde o bem triunfa para o conforto dos corações perseguidos.



O Apocalipse é do gênero do Apocaliptismo. A literatura apocalíptica centralizou na crença da iminente intervenção de Deus mediante o grande sofrimento do seu povo, ou seja, são textos que surgem em momentos de grande tensão social. É uma literatura cheia de símbolos, dualismos, inversão da ordem estabelecida e a crença que Deus acaba com o caos presente. Como literatura, o Apocalipse é epistolar, alegórico e com descrições de rituais de adoração judaica.



O que o Apocalipse não é?

Alguns conceitos distorcidos sobre o livro do Apocalipse (do grego, a Revelação)
O Apocalipse não é Cabala. O Apocalipse não é um livro misterioso que precisa de um dom (intuição especial) para revelar mistérios. Não é um guia astrológico ou tabela de números egnimáticos. O Apocalipse não é meramente um livro sobre o futuro. “Este livro foi escrito para nos ensinar a viver com Deus no presente e não para fornecer matéria-prima para vãs especulações sobre o futuro”. O livro é sobre o presente (encorajando o bem) e o futuro (alimentando a esperança e desencorajando o mal).
O Apocalipse não é um livro aterrorizante. O propósito do Apocalipse, pelo contrário, é de conforto aos corações dos cristãos perseguidos pelos tiranos. O Apocalipse é profético, mas não um visionário frenético e detalhista. As profecias não têm o propósito de ser um guia sobre eventos futuros, mas sim para lembrar a consumação do triunfo de Cristo.
O Apocalipse não é numerologia. Os números no livro não podem ser espiritualizados. Os números são parte de suas figuras.O Apocalipse não é o único livro apocalíptico. O Antigo Testamento é farto em literatura apocalíptica, como Daniel, Isaías, Ezequiel e Zacarias.
O Apocalipse não tem tribulações como o centro da sua mensagem, mas sim a pessoa de Jesus Cristo. O Apocalipse, como toda Escritura, tem o propósito de mostrar a Glória de Deus. O Apocalipse não é um livro literal, excetuando-se alguns trechos. É um livro de simbologias de difícil interpretação para o leitor contemporâneo. O livro contém espítola.



Bibliografia:


AUNE, D. E. Apocaliptismo em: HARWTHORNE, Gerald F.; MARTIN P. Ralph e REID, Daniel G. Dicionário de Paulo e suas Cartas. 2 ed. São Paulo: Paulus, Edições Loyola e Edições Vida Nova, 2008.

BRUCE, F. F. Apocalipse. em: BRUCE, F. F. (org.) Comentário Bíblico NVI: Antigo e Novo Testamentos. 1 ed. São Paulo: Editora Vida, 2008.

GOUVÊA, Ricardo Quadros. O Anticristo na Bíblia e na História. 1 ed. São Paulo: Fonte Editorial, 2011. 

JENNEY, Timothy P. Apocalipse em: ARRINGTON, French L. e STRONSTAD, Roger. Comentário Bíblico Pentecostal: Novo Testamento. 4 ed. Rio de Janeiro: CPAD, 2006. 

LADD, George. Apocalipse: Introdução e Comentário. 1 ed. São Paulo: Edições Vida Nova, 1980. 

MAUERHOFER, Erich. Uma Introdução aos Escritos do Novo Testamento. 1 ed. São Paulo: Vida, 2010.

MORRIS, Leon L. Livro do Apocalipse em: DOUGLAS, J. D. O Novo Dicionário da Bíblia. 3 ed. São Paulo: Edições Vida Nova, 2006. 

MORRIS, Leon L. Teologia do Novo Testamento. 1 ed. São Paulo: Edições Vida Nova, 2003. 

MURRAY, George R. Beasley. Apocalipse em: CARSON, D. A. (org.) Comentário Bíblico Vida Nova. 1 ed. São Paulo: Edições Vida Nova, 2009. 

STAMPS, Donald. Bíblia de Estudo Pentecostal. 1 ed. Rio de Janeiro: CPAD, 1995.

Nenhum comentário: