Pesquisar este blog

Carregando...

sexta-feira, 11 de maio de 2012

Lição 07 - Sardes, uma Igreja morta

Subsídio preparado pela equipe de educação da CPAD

Por Stanley M. Horton

“E ao anjo da igreja que está em Sardes escreve: Isto diz o que tem os sete Espíritos de Deus e as sete estrelas:Eu sei as tuas obras, que tens nome de que vives e estás morto. Sê vigilante e confirma o restante que estava para morrer, porque não achei as tuas obras perfeitas diante de Deus. Lembra-te, pois, do que tens recebido e ouvido, e guarda-o, e arrepende-te. E, se não vigiares, virei sobre ti como um ladrão, e não saberás a que hora sobre ti virei.”

Jesus chama a atenção da igreja de Sardes para o fato de Ele ter os sete Espírito de Deus (Is 11.2-5). O Espírito Santo estava, e está, disponível para cumprir a sua tarefa. Jesus tem nas mãos também as sete estrelas, que são os mensageiros, ou pastores das sete igrejas. O Senhor não faz nenhum elogio à igreja de Sardes como um todo, mas repreende-a e exorta-a. Afinal, tem Ele os pastores todos em suas mãos, e está preocupado com estes e com as igrejas que presidem.

A igreja de Sardes era muito ativa; tinha nome e reputação. Os de fora consideravam-na espiritual, cheia de vida. No entanto, Jesus vê o interior, aquilo que não é aparente e está escondido. Por isto, declara-a espiritualmente morta. Talvez não mais dependesse do Espírito Santo, e estivesse falhando em seguir a liderança que Deus lhe havia designado. Aqueles crentes ainda usavam o ritual pentecostal, mas não possuíam mais poder. Mesmo assim, não estavam cônscios de sua verdadeira condição, o que os levava a se orgulharem da reputação conquistada. Eis porque careciam estar vigilantes, literalmente “bem acordados”; sua “morte espiritual” era como um sono, ainda era possível despertar a uma nova vida em Cristo.

Os crentes de Sardes dependiam de experiências passadas. Por falta de vitalidade espiritual, achavam-se quase à morte. Nenhuma de suas “obras” era perfeita, isto é, completa. Tudo o que aquela igreja fazia carecia de unção, do toque de Deus, enfim, do movimento do Espírito Santo - o único que pode levar as obras de Deus à expressão completa. Por isso, tinham de acordar e ser vigilantes para fortalecer e encorajar os que estavam fracos e quase à morte. Com ajuda de Jesus, haveriam de fazê-lo.

Ao dar-lhes essa orientação (v.3), Jesus exigia que se arrependessem. Utiliza a promessa de sua vinda para reforçar suas palavras. Parece que a igreja de Sardes também estava negligenciando o ensino concernente à sua segunda vinda, tornando-se, assim, indiferente às coisas espirituais. Pois não há maior encorajamento à santidade e pureza de vida do que a maravilhosa esperança do retorno de Cristo (1 Jo 3.2,3).

Alguns em Sardes são elogiados (3.4)

“Mas também tens em Sardes algumas pessoas que não contaminaram seus vestidos, e comigo andarão de branco; porquanto são dignas disso.”

Ao negligenciarem a esperança do retorno de Jesus, e ao falharem no depender do Espírito Santo para iluminar-lhes as verdades e dar-lhes poder para viverem uma vida santa, os crentes em Sardes haviam manchado suas vestimentas. Isto é: não mais estavam cooperando com o Espírito Santo no trabalho de santificação. Não mais obedeciam o mandamento de se guardarem puro e imaculados da influência do mundo (Tg 1.27). Precisavam colocar de lado tudo o que pudessem contaminá-los, especialmente a malícia, o rancor, a inveja e outros vícios perversos que caracterizam o mundo. Precisavam também ser submissos à Palavra de Deus e aos seus ensinos com humildade de espírito (Tg 1.21).

Contudo, havia ‘algumas pessoas’ que eram exceções, e Jesus as considerava dignas de andarem com Ele ‘de branco’. Esta é uma expressão usada geralmente para roupas feitas de fino linho. Em linguagem espiritual, são vestidos branqueados no sangue do Cordeiro (Ap 7.14), e hão de permanecer brancos por causa da justiça de Cristo (Ap 19.8). O texto mostra que estes crentes já estavam andando com o Senhor, seguindo-o bem de perto, pois ainda não haviam contaminado suas vestes. Os que andarem com o Senhor nesta vida, serão dignos de continuar a andar com Ele no reino que está por vir.

Texto extraído da obra Apocalipse: As coisas que brevemente devem acontecer. Editado pela CPAD.

Um comentário:

mulher abençoada disse...

Que o SENHOR JESUS ressussite as igrejas de sardes de nossos dias;pois é notório em nossas igrejas a morte espiritual de seus membros e líderes.Pela graça e misericórdia de DEUS,estou em sua presença há quase 17 anos e sinto muito a diferença.estamos vivendo a época em que o amor de "alguns" está se esfriando e contaminando outros.QUE O SENHOR JESUS TENHA MISERICÓRDIA DE NÓS.AMÉM!