Pesquisar este blog

Carregando...

terça-feira, 1 de julho de 2014

Por que a “Música Pentecostal” é tão pobre?

Só a misericórdia divina!
Por Gutierres Fernandes Siqueira


O estilo é a “maneira de exprimir-se, utilizando palavras, expressões, jargões, construções sintáticas que identificam e caracterizam o feitio de determinados grupos, classes ou profissões”, como define o dicionário. Sempre que eu falo em “Música Pentecostal” não estou falando de uma música produzida por compositores pentecostais, mas sim de um estilo musical evangélico e brasileiro especialmente popular em igrejas pentecostais clássicas. É, por exemplo, algo diferente (não há como comparar a outro estilo), inovador (não havia nada parecido antes) e muito ruim (muito ruim, mesmo) como o estilo paraense Calypso ou o Sertanejo Universitário de Goiás. As principais expoentes desse estilo "pentecostal" são Shirley Carvalhaes, Rosi Nascimento, Damares, Elaine de Jesus, Mara Lima, Cassiane, Rayssa e Ravel, Bruna Carla etc.

Bom, nesse texto eu poderia falar de inúmeros erros doutrinários, teológicos e bíblicos presentes nas “músicas pentecostais” expressas por essas e outras cantoras. Mas disso já falei demais no blog. O que quero destacar é a pobreza das músicas. Sim, muitas vezes a música é até correta biblicamente, mas pobre musicalmente e em poesia. Ou seja, em nada lembram os famosos Salmos da Bíblia e as canções clássicas da cristandade como Aleluia de Handel

Quer um exemplo? Veja a primeira estrofe da música “Movimento de Deus” da Shirley Carvalhaes:


Deus vai fazer um movimento aqui, um movimento aqui vai fazer; já posso ver pelos olhos da fé, já posso ver. Deus vai fazer um movimento aqui, um movimento aqui. Vai fazer. Já posso ver pelos olhos da fé; já posso ver. Vai descer poder, vai descer renovo, vai ter milagre, vai ter batismo, Ele vai curar e vai entregar a vitória em suas mãos. É só confiar e glorificar e deixar o fogo queimar o altar porque hoje aqui o Senhor vai operar.


Meu Deus, o que é isso? Qualquer criança poderia escrever essa letra. É musicalmente ruim, a letra expressa repetições descabidas e em ritmo frenético. O fôlego se vai porque a ênfase é no êxtase. Além disso, o português é constantemente maltratado. É uma música irritante pela baixa qualidade. Agora, compare a música da Shirley com um hino clássico da Harpa Cristã. O hino é “Ó Desce Fogo Santo”.

Espírito, alma e corpo, Oferto a Ti, Senhor, Como hóstia verdadeira, Em oblação de amor. Eu tudo a Deus consagro Em Cristo, o vivo altar; Ó desce, fogo santo, Do céu vem tu selar!


Veja que no fundo as duas músicas expressam a mesma ideia (o poder de Deus manifesto no homem), mas o segundo hino é infinitamente melhor, pois nele há poesia, é bem escrito, respeita a língua pátria, não trabalha com repetições irritantes e nem prima por uma teologia água com açúcar. Quando perdemos a mão para produzir belezas como essa e agora ouvimos tristezas como aquela?

É disso que falo. A “Música Pentecostal” é muito ruim, muito pobre. Em compensação, nós podemos aproveitar a riqueza da Harpa Cristã. O nosso hinário é um oásis em meio a tanta música superficial. Os compositores da atualidade, especialmente aqueles que compõem músicas rasas, poderiam resgatar o sentido dos hinários para produzir boa música na atualidade. O tempo de cantar chegou, sim, o tempo de cantar boa música.

12 comentários:

Anônimo disse...

Por que a “Música Pentecostal” é tão pobre?

Possíveis respostas:

1)Porque a letra mata, mas o Espírito vivifica.
2)Porque Deus chamou as coisas loucas desse mundo para confundir as sábias.
3)Porque os fariseus eram os teólogos da época de Jesus e fizeram tudo errado.
4)Porque nada pode tocar um ungido do Senhor.

E a lista poderia alcançar os 4 dígitos facilmente.

Obviamente, não estou dizendo que as referências a passagens bíblicas causam essa pobreza. Mas com certeza, ambas vêm de uma mesma fonte: o anti-intelectualismo, pobreza teológica, e outros males patentes nas nossas igrejas.

Pr Alessandro Garcia disse...

Boa parte dos "louvores" atuais, diferentes dos verdadeiros hinos de adoração, são antropocêntricos, ou seja, suas letras apenas satisfazem o ego dos ouvintes. Os verdadeiros hinos, da Harpa, Cantor Cristão, Hinos e Cânticos, etc, grupos de louvor, duplas, cantores e outros, celebram a Deus, proclamam os Seus Atributos, enfatizam a Obra de Cristo, falam do céu e do inferno, avisam ao homem quanto a sua única e real esperança: CRISTO.

robsonparma007 disse...

Boa abordagem
A igreja esta cada dia mais se afastando da musica sacra e aderindo a ritmos modernos, infelizmente cada dia mais deixando de lado as riquíssimas letras da harpa cristã e suas verdades e aderindo musicas egocêntricas, materialistas.
Em minha opinião a pobreza das melodias pentecostais são oriundas de igrejas que são ensinadas por pastores que pregam um evangelho ensinado por tradição, pobre de teologia, cheio de costumes religiosidade, jargões e erro.
A prova disso é você procurar por paginas de teologia pentecostal na internet, é difícil achar e poucos são coesos, esta pagina me parece Boa

Fábio Stefani da Silva disse...

Caro amigo,

Para entender a razão pela qual a "Música Pentecostal" é tão pobre, precisamos entender que ela é um subproduto da Música Gospel, e isso já como um todo.

Vivemos dias da "obsolência programada", onde os produtores já pensam em fazer algo propositadamente frágil ou suscetível à incompatibilidade com uma nova versão, para que, assim, continue vendendo mais e mais.

Os artistas sabem que terão que gravar novas músicas no ano que vem e, por isso, nem se preocupa em colocar algumas canções só pra encher linguiça.

O problema é quando um ou outro acaba gostando até mesmo dessas... Dá uma tristeza quando os grupos cantam (quase que sempre com playback), músicas que buscam trazer entretenimento, em vez de valores cristãos e adoração verdadeira.

Mas é isso, tudo girando em torno do dinheiro, do poder e da fama. Sentimento aparentemente nunca visto nos compositores dos hinos da Harpa, Cantor, Novo Cântico e similares.

Ramiro disse...

Assim como o Sertanejo Universitário, Tecnofunk ou esses pagodes que ouvimos no radio de vez em quando a Musica Pentecostal virou
uma espécie de musica de cartase coletiva, onde as pessoas cantam para produzir um emocional que nada tem de espiritual. Music só para grudar na mente das pessoas e vender CD e Shows, totalmente desvirtuada da verdadeira musica Sacra.

Leandro Henrique Dessart disse...

Sem me estender no comentário, vejo que este sintoma transcende a mediocridade eclesiástica, passando pelo baixo nível intelectual da população brasileira, que desemboca tanto nos medíocres estilos musicais seculares citados no texto (vide o sucesso atual do funk, e o nível intelectual geral da nação, para mim correlacionados), como na própria música "pentecostal".

Abraço!

Pr Alessandro Garcia disse...

Vale lembrar que de Pentecostal mesmo, estas músicas não tem nada, a não ser o nome

Aprendiz disse...

E o impressionante é que na maior igreja pentecostal, que é a AD, existem muitos bons músicos, gente que toca em boas orquestras. Deve ser um sofrimento para muitos ouvir músicas tão pobres.

Anônimo disse...

Caro Gutierres,

Quero indicar um documentario ao amigo e aos demais leitores deste blog que trata do valor da beleza, e como este tem sido reduzido desde o seculo XIX.

Nao diz respeito a musicas cristas, e muito menos as pentecostais, e sim a banalizacao de certos valores que antes eram tao facilmente encontrados na arte, musica, poesia, etc.

ps: desculpem-me pela ausencia de acentuacao deste teclado.

http://vimeo.com/55784152

Jéssica disse...

É pobre porque o pessoal é preguiçoso.
Infelizmente há musicas seculares com letras muito mais elaboradas que musicas de igreja pentecostal.
Mas para muitos ''crentes'', qualquer frasezinha que recebem que tem "Jesus, Deus" e etc no meio, quer dizer que foi mandado por Deus e pronto, vira música. No entanto, duvido que Deus faria algo tão simplório para si mesmo.
O pessoal geralmente é preguiçoso e burro, isso ocorre em quem compoe, em quem toca instrumentos, em quem ministra louvores. Gostam dos cliches gospel, mas o aprofundamento teologico é abominação pra eles.

jackefull disse...

Olha é a uma grande verdade. Nunca vi uma música composta por tantos cantores, compositores e letras tão desprovidas de talento e expressividade.Fico triste é por Cristina Mel está nesta lista e hoje fazer parte deste estilo... ela que é uma das maiores cantoras e dona de uma das mais lindas vozes deste País, ter se enveredado e emprestado a sua grande voz e talento para um estilo tão pobre como esse. Quem conheceu a Cristina Mel dos anos 90 como eu e suas lindas canções daquela época, nem reconhece e fica até chocado de como a mesma decaiu depois dos anos 2000 para cá quando passou a fazer parte deste segmento musical tão ruim; Já as outras sinceramente foram as verdadeiras causadoras e exportadoras desta música horrenda ter se alastrado que nem praga na música evangélica e nas igrejas, principalmente Cassiane e Shirley Carvalhaes esta que foi a pioneira de fato. É lamentável, eu não suporto música pentecostal!!

jackefull disse...
Este comentário foi removido pelo autor.