Pesquisar este blog

Carregando...

terça-feira, 21 de outubro de 2014

Porque como cristão-evangélico eu não voto no PT

A ideologia pensa ter a chave do mundo
Por Gutierres Fernandes Siqueira


Eu tenho inúmeros motivos para não votar no Partido dos Trabalhadores (PT), especialmente razões econômicas e políticas, mas quero tratar neste post apenas a incompatibilidade desse partido com a minha fé evangélica. Antes de julgar ou comentar este texto peço que o leia até o final. 

Os partidos brasileiros, de maneira geral, são ruins e representam mal a sociedade. Podemos dividi-los em três categorias: os pragmáticos, os ideológicos e os fisiológicos. Essa divisão, vale lembrar, é apenas didática, pois de certa forma não há partido puramente ideológico ou mesmo pragmático. Eu, particularmente acho ruim o pragmatismo e a fisiologia dos partidos, mas não há nada pior do que a ideologia. E o PT é um partido ideológico. 

IDEOLOGIA. Os fisiológicos e os pragmáticos não acreditam possuir a interpretação verdadeira do cosmo. Eles apenas querem o bem prazeroso do dinheiro. Eles não possuem caráter, apenas isso, e nem ideais- graças a Deus (!). Os ideológicos acreditam na chave redentora da própria verdade. Portanto, não há nada mais perigoso para a democracia do que um ideólogo. A democracia é o regime sem verdade oficial. A ideologia é a verdade oficial. É o ídolo secular. Sim, a ideologia é idolatria. E o partido ideológico é uma encarnação religiosa. “A ideologia ‘imita o sofrimento e a morte do Messias’ e pode, assim, ser vista como uma espécie de cristianismo espúrio”, como escreveu David T. Koyzis [1]. Não é por menos que alguns cristãos “progressistas” e petistas usam uma linguagem do “Reino” para justificar o apoio político. O engraçado é que espiritualizam a política da mesma forma que alguns neopentecostais, mas não reconhecem isso. Que feio!

Portanto, a ideologia tudo justifica. Expulsar um corrupto condenado na justiça? Não, nada disso. Ele roubou para a nossa causa, pensam eles. Ele é um herói, gritam os ideólogos nas redes sociais. A justiça que é malvada e burguesa, repetem como clichê. Agora, nesse mesmo partido se expulsou um deputado espírita que militava contra o aborto. Ora, roubar pode, mas o que não pode é discordar da santa doutrina, a sacrossanta ideologia. Isso mesmo: o PT expulsou um deputado por ser contra o aborto, mas não aqueles envolvidos em escândalos de corrupção.

DIVISÃO. É, ao mesmo tempo, o partido que alimenta a divisão do país. E essa divisão atinge em cheio a comunidade evangélica. O "nós" contra "eles" procura, por exemplo, colocar evangélicos e gays e choque permanente. E tudo isso alimentado por uma militância apaixonada pela ideologia acima citada.  A ideologia estraga as relações humanas, como bem escreveu Clodovis Boff, o lado sensato da família da família dos frades, que disse:


Quando, porém, a política se fecha e pretende ultimar o sentido da vida, limitando-o ao horizonte da história, então ela se degrada, avilta das relações sociais e se torna finalmente niilista. A história inteira mostra que o Estado sempre se mostrou inclinado à absolutização, dando-se por sagrado e mesmo divino. De realidade relativa, torna-se facilmente um absoluto, ou seja, um mito, melhor ainda, uma religião mundana. [2]

E, para encerrar, o evangelicalismo brasileiro representa um grande guardião do conservadorismo social. E não há nada que dê mais nojo no PT. Gilberto Carvalho, nome preeminente do petismo, já disse que o partido precisa ganhar a batalha das mentes contra os evangélicos. Bom, você vai esperar isso acontecer? 

Referências Bibliográficas:

[1] KOYZIS, David T. Visões e Ilusões Políticas. 1 ed. São Paulo: Edições Vida Nova, 2014. p 41. 

[1] BOFF, Clodovis. O Livro do Sentido: crise e busca de sentido hoje. 1 ed. São Paulo: Editora Paulus, 2014. p 356.

6 comentários:

Gilmar Rogers disse...

Concordo com o irmão. Aliás, fico triste ao perceber a inocência evangélica nessas eleições, onde a candidata Dilma recebe boa parte desses votos, especialmente os de confissão pentecostal. A diferença é muito pouca entre os que votam no PT e os que não votam.

Vejo também esse fenômeno como resultado da omissão, da falta de posicionamento sobre política por parte das igrejas evangélicas. Poucos líderes declararam o seu voto.

Depois das eleições, caso o PT ganhe, eles vão lutar contra tudo que é valor que nós defendemos e aí sim vamos protestar. Mas por que não fazemos isso agora, nas urnas?

WESLEI ROCHA disse...

Minha opinião é que os argumentos utilizados pelo autor do texto seriam válidos se o mesmo, como cristão, declarasse voto nulo nestas eleições presidenciais. O que parece improvável.
Fica uma pergunta: Se alguns horrendos "boatos" a respeito do candidato Aécio (que para muitas pessoas de Minas são fatos, observados muito antes desta campanha eleitoral)forem verdadeiros,como ficam os milhares de evangélicos, incluindo muitos pastores assembleianos,que estão arduamente em campanha pró-Aécio?
O que me incomoda, como evangélico, não são as inúmeras críticas de pastores ao governo do PT, até porque a maioria têm fundamento. O que me deixa indignado é que,durante as campanhas de FHC(com suas ideologias de esquerda, declaradamente ateu, defensor da legalização da maconha, etc)não me lembro de ouvir nenhum tipo de manifestação, por parte de pastores, condenando a eleição do ex presidente mencionado. Agora a cena se repete; o caráter duvidoso e anti-cristão de Aécio é totalmente esquecido, nas rodas de conversas evangélicas.
Um argumento muito utilizado por alguns evangélicos que tenho conversado é que devemos votar no "menos pior", "menos mal","menos prejudicial", etc. Para mim este tipo de argumento é totalmente anti-cristão, pois foi utilizado por Pilatos em relação a Cristo.

André Severiano disse...

Estão se esquecendo que a bancada eleita para o congresso é a mais tradicional desde 1964. Se o problema é de moralidade, não há o que temer, pois, Bolsonaro e Cia Ltda estão lá para não deixar passar medidas provisórias e projetos de lei que sejam contrários aos valores cristãos. A não ser que por motivos políticos eles cedam como o deputado Marco Feliciano que votou a favor de um projeto de lei que prejudica em muito os caminhoneiros desse país.

Estão se esquecendo também que aquele que vem se perpetuando no poder não é o PT e sim o PMDB que independentemente de quem seja o presidente está como situação desde 1994 (embora tenha lançado candidatura própria em 2006).

Desta forma, penso ser necessário olhar para o todo e não apenas para um lado da moeda.

Anônimo disse...

Vou deixar um texto pra reflexão aqui, ele é meio antigo mas já vi alegações dos que irão votar na Dilma falando sobre a vida pessoal regressa do Aécio, já que creio que a vida regressa mostra apenas os frutos pessoais dele, mas não condiz com a ideologia política do partido em si. Porque o que se discute aqui é a ideologia partidária e não o político em questão vou deixar um exemplo antigo da Internet :

DUAS PERGUNTAS DIFÍCEIS:
1) Se você conhecesse uma mulher grávida, que já tivesse 8 filhos. Dois dos quais surdos, os outros dois cegos e um com down, e ela tivesse sífilis, você recomendaria que ela fizesse um aborto?
Leia a próxima pergunta antes de responder a esta.

2) Está na hora de eleger um novo líder mundial, e você tem direito a voto. Aqui estão algumas informações sobre os três candidatos:

Candidato A - Está associado à políticos corruptos, e consulta astrólogos. Já teve duas amantes. Fuma como uma chaminé e bebe de 8 a 10 martinis por dia.

Candidato B - Já foi despedido de dois empregos, costuma dormir até o meio-dia, usava ópio na universidade e bebe um quarto de uma garrafa de whisky todas as noites.

Candidato C - Ele é um herói de guerra! Condecorado. É vegetariano, não fuma, bebe uma cerveja ocasionalmente e nunca teve nenhuma relação extra conjugal.

Qual destes candidatos você escolheria?

Qual é sua resposta ?
Pensou bem ?

Candidato A é Franklin D. Roosevelt.
Candidato B é Winston Churchill.
Candidato C é Adolph Hitler.

Ah! E a resposta para a pergunta do aborto: se você disse sim, acabou de matar Beethoven!

Anônimo disse...

Não devemos fechar os olhos para o que o Pt está fazendo gradativamente com o nosso país. Está na hora de mudar e devemos nos posicionar sim e tirar o projeto de governo soviético que o Pt sonha em um dia implantar.

Unknown disse...

"Tendenciosidade"

Paira no ar um espírito de "tendencionismo".

Só temos dois lados, a inteligência ficou de lado.

Se apoio candidato A, sou visto pelos que apoiam candidato B como uma "aberração"; e, vice-versa.

A ampla discussão democrática, sempre estará prejudicada em função dos "guetos" criados.

Por isso, a jogada nunca será a do frescobol que é manter a bola no ar, e sempre será de levar o adversário à lona.

Pobre "análise adversária", tendenciosa, "desconstrutiva", desonesta, que carece de "sanidade".

Vamos ver o que o outro de têm de pior, os parâmetros se inverteram e não importa o que pode ser positivo no outro, e etc...

A situação constrói uma colcha de retalhos para se manter, a oposição joga pesado e não percebe que o povo não gosta desse tipo de proposta.

Precisamos de uma reforma política abrangente.

Não existe voto evangélico, voto católico, voto ateu, voto pentecostal, voto neo pentecostal, voto anti-cristão.

O voto que existe e respeita, pelo menos 50% mais 1 voto é aquele que é celebrado nas urnas e é dado conhecimento pelo Tribunal Superior Eleitoral.

Pr. Tarcizio