Pesquisar este blog

Carregando...

quarta-feira, 30 de setembro de 2015

Nem só de mazelas vive a Igreja Evangélica!

Por Gutierres Fernandes Siqueira

“A Igreja é como a arca de Noé; se não fosse a tempestade lá fora, não seria possível suportar o cheiro dentro dela” [ditado medieval].

Nós, pentecostais que procuramos uma fé mais reflexiva, sofremos bastante com o descaso doutrinário, a liturgia tresloucada, o legalismo farisaico, os modismos dos estrelismos, o mercantilismo da fé etc. que, infelizmente, estão em abundância nas igrejas evangélicas do Brasil. Agora, a reação adequada a tudo isso não é a desesperança e muito mesmo o cinismo, pois estamos falando da Igreja de Nosso Senhor Jesus Cristo, a única instituição do mundo que possui a garantia do próprio Senhor de não ser subjulgada pelas forças do inferno. E sejamos realistas: nem só de trevas vive o evangelicalismo.

Quem já teve oportunidade de visitar igrejas em várias cidades e estados deste país sempre pôde contemplar um grupo interessado e comprometido com a essência do Evangelho. Sim, normalmente são constituídos por uma minoria, mas quem disse que a verdade já foi objeto de popularidade constante algum dia? A crise é realmente séria e preocupante, mas é no meio da tormenta que algumas transformações importantes podem surgir: sim, diante das trevas densas da igreja mercantilista e mundana da Idade Média surgiu um monge agostiniano angustiado com a impureza do clero. No final do século XIX alguns entusiastas diziam que a religião não teria espaço diante do progresso da modernidade, mas aí vieram as grandes guerras do século XX e o cristianismo continuou firme, constante e crescente e, ainda, produziu alguns dos seus melhores apologistas diante do ceticismo sombrio dos “iluminados” e das ideologias totalizantes.

Há dias eu passo em frente a uma rua que reúne viciados em crack. Homens, mulheres e adolescentes que vagam como zumbis consumidos pelas drogas mais intensas. Não há nenhuma assistência do Estado naquele lugar, mas quase todos os fins de semana há evangélicos que ali se alocam para alimentá-los e evangelizá-los. Na mesma região outros evangélicos recolhem mendigos nas ruas para acolhimento em uma casa de repouso. Esses fatos não estão na mídia (e é até bom que não esteja), mas existem inúmeros protestantes socialmente ativos. E é bom lembrar que normalmente eles nem fazem parte de algum tipo de conferência de “missão integral”.

Escrevo isto contra o cinismo que tem tomado o espírito de muitos amargurados com a igreja evangélica. É sempre necessário lembrar que todo exagero é prejudicial, mesmo sobre o zelo doutrinário, a apologética e o desejo de reforma. Aqueles que não têm encontrado equilíbrio estão tão preocupados com a decadência moral, ética e teológica da igreja que resolvem jogá-la aos leões da impudência, da desfaçatez e do descaramento. Outros, no afã de apontar os erros dos evangélicos, esquecem que são participantes da mesma natureza pecaminosa. Ou, para resumir, que o Senhor nos livre de usarmos a defesa da fé como um refúgio da canalhice.


4 comentários:

Márcio disse...

Mesmo a igreja católica no período que vocês chamam de mercantilista e mundano, houve homens extremamente piedosos e com zelo na palavra. É só pesquisar. Nem tudo foi trevas nesse período como nem tudo foi maravilhas depois da reforma, é só ver essa minoria que é realmente uma minoria que resiste a apostasia, a maldita teologia da prosperidade entre tantos outros absurdos.
A paz de Cristo !
o

philippe disse...

È um Fato que nem só de mazelas vive a igreja evangélica. Porém e necessário ficar bem claro e entendido que a maioria das críticas que vemos hoje pelos Teólogos, Apologetas são para a ''igreja instituição'' e não para a Igreja Noiva de Cristo.
Para mim é muito claro a falência dessas Instituições igrejas principalmente no que se propõem Jesus a igreja que é o IDE de MAteus 28:18 / Mateus 24:14, pois o Evangelho do Reino na maioria não tem sido pregado e sim o Evangelho do denominacionalismo e da '' minha visão''.
Afinal de Contas cada líder e denominação tem sua visão? Que história é essa de visão?
Visão só existe uma a de Jesus Cristo que é ama a Deus sobre todas as coisas e o próximo como a ti mesmo, e IDE e fazei discípulos de todas as Nações, batizando em nome do Pai do Filho e do Espírito Santo. Para mim é claro que está é a visão e a instituição/Denominação igreja que não ensina/vive/prática e não tem como prioridade estes ensinamentos está longe dos propósitos de Deus Pai e de seu Filho Jesus e sem o direcionamento do Espírito Santo.

Julian Santana disse...

É verdade não precisa ser da "missão integral" para ser luz em meio as trevas. Basta apenas saber da missão enviada por que Cristo deve ser cumprida integralmente. Por isso tendo a entender que a "missão integral" não seja uma nova leitura, porém uma alerta para a geração que gosta de fazer tudo pela metade.

Dom Rafael disse...

Hah: eu bem sei como é isso! passei e passo a minha vida inteira sendo DESPREZADO pelos "irmãos", quando sou OBRIGADO a ter de suportar as infantilidades da Igreja daqui de Salvador! Sou sozinho, não conheço ninguém e ninguém me conhece! aliás, ainda bem: do jeito que eu sou, estaria incitando uma Reforma em muitos desses berçários gospel!
Quantas vezes deu vontade de CHORAR ao ler a minha Bíblia e ter de encontrar palhaçadas e coisas banais nos cultos, perguntando a mim mesmo: pra quê eu leio a Bíblia?! pra isso?! enquanto que a "massa" tudo adora, tudo aprova, e nada percebe! é uma sensação HORRÍVEL!
Paz