Pesquisar este blog

Carregando...

sábado, 3 de outubro de 2015

A companhia telefônica das Assembleias de Deus e o Banco do Vaticano: quando a igreja esquece sua missão!

Por Gutierres Fernandes Siqueira

Qual é a missão da igreja? Eis um tema difícil. Será a adoração, o serviço, a assistência, a proclamação, a evangelização etc.? Talvez o melhor fosse evitar o artigo definido para que as várias missões bíblicas sejam abarcadas. Agora, certo como o rio corre para o mar é que o empreendedorismo nunca foi missão da Igreja de Nosso Jesus Cristo, seja essa como corpo místico de Cristo ou como uma instituição humana que afirma ser o depósito do Evangelho. Infelizmente, a CGADB (Convenção Geral das Assembleias de Deus no Brasil) ainda não entendeu esse elemento básico da doutrina cristã.

Cartão da AD lançado
na década de 1990.
Na década de 1990 a CGADB lançou cartões de crédito com o logo da convenção. O empreendimento não deu muito certo, mesmo com a desculpa que parte dos lucros seriam revertidos para obras missionárias. Em 2000 a Confader (Convenção Nacional das Assembleias de Deus do Brasil e do Exterior), uma convenção à parte da CGADB, cogitou comprar a falida VASP, uma companhia área que encerrou as atividades em 2008.  Agora, em 2015, a CGADB fez uma parceira com uma empresa de telefonia para criar uma operadora de celular “do povo evangélico”. Se você não acreditou, por favor, leia a notícia aqui. É uma empresa em nome da igreja Assembleia de Deus e para vergonha do povo assembleiano.

Ainda que tenha muita gente abitolada que abraçará esse empreendimento com afinco, é duvidoso saber se essa operadora fará sucesso entre os assembleianos. É visível nas redes sociais a revolta contra essa ideia esdrúxula da Convenção Geral. O povo evangélico, diferente do que muitos líderes pensam, não agem bovinamente e o senso do ridículo dificultará o crescimento desse tipo de empresa.

Bom, tenho saudades do tempo onde os crentes criticavam a Igreja Católica por esta ter um banco, o Banco do Vaticano, mas agora a igreja dos crentes tem uma companhia telefônica. Naquela época os crentes perguntavam: por que uma igreja precisa se envolver com os negócios desta terra? Por que uma igreja precisa ser envolver no mundo como uma empresária? A missão da igreja é mercantilista? Agora, alguns lunáticos comemoram o “avanço” da igreja na sociedade pelos meios da lucratividade.

A igreja pode e deve influenciar a sociedade, mas o melhor meio para isso é a assistência social e a educação. A Assembleia de Deus é uma igreja centenária no Brasil, mas não possui nenhuma universidade- apenas algumas faculdades.  A denominação tem apenas um hospital e algumas poucas escolas de ensino fundamental e médio, mas nesses dois casos não há uma rede nacional estruturada.

A influência nunca acontecerá com essa segmentação ridícula de produtos específicos para evangélicos. Essa visão maniqueísta de “produtos para evangélicos” não tem base escriturística e nem lógica. Por que o evangélico precisa de uma empresa de telefonia? Qual a diferença entre as demais telefônicas? Por acaso haverá uma linha direta para o céu?

Outro fato preocupante é que essa associação com empresários segue a mesma lógica da associação com políticos. Alguns pastores acham que podem garantir votos ou vendas direitas dos membros da denominação. É vergonhoso saber que alguns pastores podem se achar donos do voto e do bolso dos evangélicos.

6 comentários:

Vinicius Moreira disse...

É triste ver a Igreja colocar projetos que os objetivos não sejam os que são ordenados nas escrituras. Totalmente desnecessária essa ação. Gostei que você ressaltou essa visão que tem se espalhado por ai dentro das igrejas que é a maniqueísta. É quase uma tentativa de tornar a Igreja um socialismo que tudo provém para os seus fiéis ao invés de instruí-los a se transformar pela renovação do entendimento.

Vinicius Moreira disse...

É triste ver a Igreja colocar projetos que os objetivos não sejam os que são ordenados nas escrituras. Totalmente desnecessária essa ação. Gostei que você ressaltou essa visão que tem se espalhado por ai dentro das igrejas que é a maniqueísta. É quase uma tentativa de tornar a Igreja um socialismo que tudo provém para os seus fiéis ao invés de instruí-los a se transformar pela renovação do entendimento.

Israel C.Oliveira disse...

É com muita tristeza que recebi esta notícia, compartilho da mesma opinião do amado irmão, fico pensando como será gerido esta operadora, já que tudo na cgadb muito transparente.

Kennedy Silveira disse...

Lamentável o nível em que chegamos!

Alex dos Santos Ferreira disse...

Gostaria de parabenizar por essa postagem. Como membro da assembleia de Deus (ainda) fico muito triste com tudo isso, mais esta firmemente se cumprindo o que esta na Bíblia. Mateus 7 . Estou cansado desse evangelio de compra de benção, que não tem novo nascimento, não tem perdão não tem separação do pecado

Anônimo disse...

A AD se perdeu já faz anos...infelizmente aquele "primeiro amor" não passa de nostalgia no coração de muitos...O que aconteceu? Bom, quando Cristo não é tudo, ou como esta nos evangelhos, a "principal pedra de esquina", aí
amigos... o que era um movimento vira um instrumento de controle e poder.