Pesquisar este blog

Carregando...

segunda-feira, 14 de dezembro de 2015

Alguns pensamentos sobre espiritualidade!

Por Gutierres Fernandes Siqueira

TESTEMUNHO NÃO É PREGAÇÃO. Embora seja bonito e edificante, o testemunho não é pregação. Haja vista, lamentavelmente, o excesso de testemunhos nos cultos pentecostais, é necessário lembrar o mais importante: ouvir a exposição nas Escrituras sobre o Nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo é infinitamente melhor do escutar o testemunho de um irmão que falará sobre o seu novo objeto de consumo. Com disse Paulo: "De sorte que a fé é pelo ouvir, e o ouvir pela palavra de Deus" [Romanos 10.17]. Isso mesmo: é a Palavra que produz a verdadeira fé e não a nossa própria história.

UNÇÃO. O que é unção? Ora, nada mais nada menos que a própria habitação do Espírito Santo no regenerado (1 Jo 2.20). Portanto, pare de falar em unção como algo para poucos iluminados que supostamente exercem uma espiritualidade grandiosa. Todo crente em Cristo Jesus é um ungido.

DEUS É SOBERANO! Tal doutrina não é arroto escolástico nem excesso de helenismo, mas tão somente transmite segurança, conforto e consolo aos nossos corações. É uma doutrina que pulsa vida, coragem e esperança. Saber que o justo e poderoso Deus tudo pode e não se deixa manipular é maravilhosamente reconfortante como o descanso em pastos verdejantes. Ao mesmo tempo, a soberania de Deus não é à semelhança do preceito dado aos tiranos. Deus em sua soberania, muitas e muitas vezes, nos permite o consentimento e a transigência. Ele não se contradiz em seu caráter santo e amoroso. Louvado seja o nosso Deus, o soberano Senhor!

O ISLÃ É UMA RELIGIÃO DE PAZ? Neste último mês há nesta rede vários vídeos e textos contestando o islamismo como uma religião de paz. Será apenas uma manifestação de ignorância e preconceito? Vejamos: [1] Queria muito que aqueles que advogam o islã como uma "religião da paz" me respondesse o motivo pelo qual nenhuma nação de maioria muçulmana desfruta de plena liberdade religiosa. Isso mesmo: absolutamente NENHUMA! É claro que eu posso viver o meu cristianismo livremente em países como a Turquia ou a Tunísia, mas um nativo nascido em família muçulmana corre sério risco caso ele queira seguir a fé cristã ou qualquer outra. Se o Islã não permite a troca de religião pacificamente não pode ao mesmo tempo se vender compatível com os valores ocidentais (tolerância, pluralismo, democracia etc.). [2] Quando o Osama Bin Laden morreu houve uma polêmica sobre a forma como ele havia sido sepultado, pois ao ser simplesmente jogado ao mar tal gesto feriria a fé islâmica, segundos os clérigos. O que chamou a minha atenção foi a entrevista que a Globo fez com um sheik brasileiro que concordou com essa crítica. O que eu esperava ouvir do sheik é que a forma do sepultamento não importava, logo porque o Bin Laden não era um "verdadeiro muçulmano". Mas não, no lugar disso o sheik paulista colocou Bin Laden como um irmão de fé. Será que estamos apenas diante de ignorância preconceituosa?

Acompanhe essas e outras reflexões na página do Blog Teologia Pentecostal no Facebook: https://www.facebook.com/teologiapentecostal


2 comentários:

César Aguiar disse...

Boas reflexões irmão Gutierres! Compartilho de quase tudo de seus pensamentos. Vivemos em dias de muita manipulação religiosa. Em alguns cultos meio que virou bagunça com relação aos "tristimunhos". Tenho lutado para manter uma máxima reformada que é Sola Scrptura! Penso que o irmão também compartilha do mesmo pensamento! Que Deus o abençoe grandemente. Pb. César Aguiar.

Marcílio André Alves Pereira disse...

Graça e paz abençoados!
Diante de tudo que temos visto não chegaremos a participar de um avivamento em nossos dias.
Quanto tempo de oração? Quantas suplicas à presença de Deus?
Estamos na contramão do Evangelho e muito!!!!!