Pesquisar este blog

Carregando...

sábado, 21 de maio de 2016

Índios e a Evangelização

Por Gutierres Fernandes Siqueira

Determinada artista evangélica postou uma foto com uma família indígena onde lamenta a não-evangelização de muitas tribos no Brasil. Por essa mensagem trivial houve quem convocasse até um "vomitaço" nas redes sociais. A crítica mais recorrente à essa postagem foi que "a cantora não respeita a cultura dos povos indígenas".

Como assim? Acaso a cultura indígena é um bem imaterial intocável que deve ser isolado de qualquer influência externa? Não são eles que defendem com unhas e dentes a interação cultural? O próprio índio não tem discernimento para rejeitar ou abraçar a nova cultura que lhe é apresentada? O homem por ser indígena precisa ser tutelado? A tutela de um adulto é compatível com a dignidade humana? Por que o antropólogo ou militante de esquerda deve defender o quê o índio deve ou não ouvir?

A evangelização é um convite, uma apresentação; não é uma imposição, uma obrigação. O índio aceita se quiser, assim como qualquer homem branco, negro, amarelo etc. Ser contra a apresentação de uma nova cultura religiosa aos índios é uma visão essencialmente autoritária.

Essa imagem o escandaliza? Ora, por qual motivo? Assim como você pode se divertir com um celular o índio também pode. Assim com você pode mudar de religião ou escolher não ter religião, o índio também pode. 

Um comentário:

Anônimo disse...

Morei nessa aldeia durante dois anos. Existe lá uma forte Assembleia de Deus de fervorosos crentes indígenas. Deu-me saudades agora, ao ver a imagem. (Elias Oliveira)